Leituras que eu abandonei

Aqui eu vou falar de como eu me senti tentando ler os livros citados. Em nenhum momento eu vou falar que são livros horríveis. Afinal, cada um tem uma visão sobre os livro que lê ou que não consegue ler.

Por lugares incríveis

Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de “aberração” por onde passa. Para piorar, é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.

Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular.

Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: conhecer lugares incríveis do estado onde moram. Ao lado de Finch, Violet para de contar os dias e finalmente passa a vivê-los. O garoto, por sua vez, encontra alguém com quem pode ser ele mesmo, e torce para que consiga se manter desperto.

Antigamente eu só lia livros que a sinopse realmente chama-se a minha atenção ou que a resenha parecesse verdadeira e não aquela puxação de saco de editora ou de livro/autor famoso.

Eu já tentei ler umas 3 ou 4 vezes esse livro. Mas eu não consegui concluir nem um capítulo, e isso pra mim é realmente frustrante, já que dificilmente uma leitura não evolui comigo. Pra mim foi cansativo todas as vezes em que eu tentei ler e não entendia nada, concentração na leitura era 2,0%.

A leitura não andava pra frente, achei enjoativa e cansativa. Afinal se você se esforça pra uma coisa e isso não vai melhorando, acaba desistindo. Os quotes que eu leio são maravilhosos, mas o livro mesmo…eu não consigo ler.

Leah fora de sintonia

Sinopse: Leah odeia demonstrações públicas de afeto. Odeia clichês adolescentes. Odeia quem odeia Harry Potter. Odeia o novo namorado da mãe. Odeia pessoas fofas e felizes. Ela odeia muitas coisas e não tem o menor problema em expor suas opiniões. Mas, ultimamente, ela tem se sentido estranha, como se algo em sua vida estivesse fora de sintonia. No último ano do colégio, em poucas semanas vai ter que se despedir dos amigos, da mãe, da banda em que toca bateria, de tudo que conhece. E, para completar, seus amigos não fazem ideia de que ela pode estar apaixonada por alguém que até então odiava, uma garota que não sai de sua cabeça.

Nesta sequência do sucesso Com amor, Simon, vamos mergulhar na vida e nas dúvidas da melhor amiga de Simon Spier. Em um livro só dela, mas com participações mais do que especiais dos personagens do primeiro livro, vamos acompanhar Leah em sua luta para se encontrar e saber com quem dividir suas verdades e seus sentimentos mais profundos.

Em Leah fora de sintonia, Becky Albertalli mostra por que é uma das vozes mais importantes e necessárias de sua geração. Sem nunca soar didática, a escritora lança mão dos mesmos ingredientes que tornaram Com amor, Simon um sucesso mundial: a leveza, o senso de humor, a representatividade e a certeza de que vale a pena contar histórias sobre jovens que podem até estar perdidos, mas estão determinados a encontrar seu caminho.

💔😣 Falar que eu não consegui ler esse livro realmente me deixa triste! Porque eu me identifiquei muiito com a Leah em “Com amor, Simon”. Quando eu fiquei sabendo que foi feito um livro dela, eu imediatamente saí procurando. Sabe quando você faz/quer algo e acaba criando uma grande expectativa? Foi assim com Leah, só que eu cai de cara da minha montanha de expectativa com esse livro. Consegui ler 1 capítulo, na marra!

Assim que eu comecei a ler eu fiquei “quem é essa leah??”, nem parecia a garota que foi mostrada em “Com amor, Simon”, a identificação foi sumindo muito rápido, a expectativa de que fosse um livro ótimo foi dando tapas na minha cara. Fiquei com raiva, estressada e com vontade de pegar os dois livros e mostrar pra autora gritando na cara dela assim “QUERIDAAAA, OLHA ESSA LEAH AQUI (Com amor, Simon), NÃO É ESSA AQUI (Leah fora de sintonia ), REFAZ ISSO AQUI, AGORAAA!!”.

Leia também: Resenha: Com amor, Simon

Sol em Júpiter

Sinopse: Sol Leão tem uma vida invejável. Bonita e autoconfiante, ela mora em um apartamento de frente para a praia e seu canal no YouTube, Delírios de Juba, acabou de atingir a marca de 6 milhões de inscritos. Para completar, acaba de ser pedida em casamento pelo homem dos seus sonhos. Mas será que seus dias são tão perfeitos quanto parecem ser nos vídeos e nas fotos do Instagram?

Em um momento catastrófico, Sol conhece Júpiter, um rapaz de sorriso fácil e olhos incrivelmente azuis. Com o coração balançado, ela começa a questionar a vida que tem levado até agora e a imagem que se sente obrigada a manter para seus fãs. Quando, durante uma transmissão ao vivo para milhares de pessoas, Sol faz uma terrível descoberta, ela vê a muralha que tinha construído ao seu redor desmoronar e é obrigada a encarar medos e inseguranças do passado. Ainda bem que Júpiter está ali, com suas covinhas irresistíveis, para ajudá–la a encontrar forças dentro de si e dar a volta por cima, mostrando que a vida pode, sim, ser leve, mesmo quando o universo parece querer provar o contrário. 

É o livro que mais faz eu ser crítica de resenhas “falsas”, eu lia resenhas que diziam maravilhas desse livro, e fiquei muito interessada nele até que ganhei de uma amiga. Comecei a ler imediatamente né (outro caso de grande expectativa), da 1ª vez eu nem consegui chegar a 10 páginas. Fiquei triste, magoada e com raiva de mim, porque todas diziam ser um livro maravilhoso e eu também queria aproveitar essa leitura tão boa né.

Fiquei me culpando e fui reler as resenhas (quando eu gosto de um livro pela resenha, eu salvo a resenha pra depois procurar o livro), elas me deram vontade de ler de novo. Reli e terminei 2 capítulos e parei, parecia uma tortura lê aquele livro, me deu tanta dor de cabeça. Fui nas resenhas falar a minha experiência com o livro, quando acabei lendo um monte de comentários dizendo que também detestaram o livro e etc…

A conclusão, muita gente comprou o livro pelas resenhas que ele teve sendo a maioria positivas. Eu fui ler outras resenhas dessas pessoas e as que eram parcerias pareciam todas “maquiadas”, e sem sentimento mesmo, sabe?!

Não conte para a mamãe

Sinopse: Relato sincero e estarrecedor de uma menina que, além do assédio do pai, sofreu com a omissão materna. A pequena Toni Maguire, negligenciada e traída por aqueles em quem mais deveria poder confiar. Um livro de difícil leitura, mas fundamental nos dias de hoje. Violentada constantemente pelo pai, chegando a engravidar, Toni beirou a completa destruição. Sua recuperação e seu reconhecimento como escritora servem de exemplo para crianças e jovens vítimas, todos os dias, de abusos sexuais, mostrando-lhes que é preciso lutar contra essa condição e que é possível vencer a luta.

Eu chorei e odiei, só lendo a sinopse! Deu uma dor enorme no meu coração, eu fiquei “como alguém pode fazer isso com uma criança? Pelo amor de Deus, são monstros doentes!!”.

Acho que esse livro foi o mais difícil de se ler, de tudo que eu já li nada se compara. Eu consegui ler uns 2 capítulos em 3 tentativas. É muito pesado, eu não conseguia comer, dormir e nem conversar sobre esse livro. É muito angustiante, não sei como a autora conseguiu escrever sobre isso (é baseado em fatos reais, da própria autora).

Eu não sou chorona, mas as lágrimas simplesmente saiam, acredito que tenha sido lágrimas de revolta por tudo o que ela passou, como também por tristeza em saber que nada possa tirar essa marca que foi deixada na alma dela.

Querer, eu queria muito terminar, mas eu não consigo. Espero um dia realmente conseguir ler mais do que chorar.

Nicole

Nicole

Tenho 18 anos, sou Paraense, amo livros/filmes/séries, tô sempre de olho nas notícias sobre lançamentos e até sobre as próprias atrizes (o). Leio de tudo, mas amo livros com personagens que tenha problemas psicológicos...

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categorias

Editora Parceira

Aliança de Blogueiros

Arquivo