[Resenha #31] Teoria do Amor – Halice FRS @Ler_Editorial por @annacms_autora



Teoria do Amor: vinho tinto seco acrescido com água e
açúcar. Quem nunca?!

Título: Teoria do Amor
Autor (a): 
Halice
FRS
Lançamento: 2016
Estante: SkoobGoodReads
Editora: Ler Editorial
Páginas: 368
Literatura: Nacional
Gênero: Chick lit, Romance
Estrelas: 5/5

Comprar: AmazonSaraiva

Sinopse: Será possível que duas pessoas de temperamentos e convicções tão
opostas, cedam aos impulsos do coração?
Alex é cético quanto ao
amor. Não entende como alguém pode se tornar afetivamente dependente de outra
pessoa. Aos 39 anos, é um solteiro convicto.
Por uma necessidade
ocasional, vive recluso em uma casa afastada da civilização, onde não há
eletricidade, água encanada, meios de comunicação nem veículos.
Maya é uma leitora
aficionada e uma romântica incurável. Não consegue imaginar a vida sem amor,
mesmo que seja um amor platônico.
Aos 26 anos decide
investir em um relacionamento e aceita passar as férias na companhia de
William, por quem é secretamente apaixonada. O que ela não contava era que ele
se envolvesse com uma desconhecida na primeira oportunidade.

E por obra do
destino, os caminhos de Alex e Maya se cruzam, obrigando-os a conviver sob o
mesmo teto por três dias, em uma inusitada relação, que forçará ambos a lidar
com as diferenças um do outro. Mas essa tarefa não será nada fácil, uma vez que
o convívio entre eles se assemelha ao de cães e gatos.



Tremenda
covardia com o Shrek chamar Alex de ogro. Shrek na verdade é um verdadeiro gentleman perto do controverso
personagem criado pela genialidade de Halice FRS!
E me
causou enorme estranhamento descobrir que Alex seja leonino e não ariano! Bom,
talvez isso explique o estrelismo dele – ou de sua outra faceta, e seu alter
ego –, e eu esteja mais uma vez querendo encontrar algum ponto em comum entre o
protagonista do romance da vez e o meu maridão. Faço isso com frequência
preocupante e o pior é que sempre encontro!…

Alex me
surpreendeu pela resistência. Primeiro em reconhecer, depois em admitir e
finalmente em aceitar o que sentia. Impressiona como os abandonos sofridos
pelas mulheres de sua família, por parte de outros homens, o afastam de
relacionamentos mais estreitos com o sexo oposto. Quando a reação natural seria
de aproximar, de não querer fazer com nenhuma outra mulher o que fizeram com
sua mãe e sua irmã. Mas não se engane caro leitor!… Isso não faz dele um
coitadinho. Sua jornada com Maya vai da canalhice a possessão, do egoísmo a
abnegação e da arrogância a remissão. Ele descobre a duras penas que é amor o
sentimento que nos faz querer nos tornar pessoas melhores. E sim! Ogros podem
exibir a beligerância e grosseria que lhe são peculiares, e ainda demonstrar a
entrega que ele demonstra a partir do momento que se descobre apaixonado. Posso
atestar essa verdade como conhecedora de causa, mas vamos deixar minhas manias
para o analista e falar um pouco sobre a Maya…

Eu amei a
Maya! Não porque tenho a péssima tendência de amar as mocinhas (principalmente
se a narrativa é em primeira pessoa, o que não é o caso de Teoria do Amor), mas
porque ela não me frustrou ou me irritou com nenhuma de suas reações. Eu
tomaria as mesmas decisões que ela e sentiria temor, raiva, fraqueza, tesão ou
consternação nos mesmos momentos. A Maya vem comprovar de forma mais explícita
e irrevogável aquilo que a Princesa Fiona vem há anos, sutilmente, tentando nos
fazer entender: o fato de que ogros têm pegada!…

A escrita
da Halice é pragmática, divertida e sem floreios. Narrativa em terceira pessoa;
num primeiro momento, voltada para Maya, depois explorando a psique do Alex, e
finalmente onisciente de ambos. O vocabulário rico e a trama bem estruturada e
envolvente te aliciam e acorrentam, te impedindo de largar o livro antes de
vencer os 26 capítulos.
Euzinha,
pelo menos, o devorei com farofa e um bom vinho tinto seco, no qual a Maya –
abusada e autêntica – veio e colocou água e açúcar.

Mas para
entender essa piadinha interna, precisa ler Teoria do Amor! 😉 Carimbo com
cinco estrelinhas douradas!

By Anna CMS

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos