Resenha #108 Rainbow – M. S. Fayes @editorapandorga

Título: Rainbow
Autor (a): M. S. Fayes
Lançamento: 2017
Estante: SkoobGoodReads
Páginas: 288
Editora: Pandorga
Literatura: Estrangeira
Gênero: Ficção, Romance
Estrelas: 3,5/5

Sinopse: Rainbow Walker sempre se sentiu diferente das garotas da sua idade. Com um nome peculiar e uma família estranha, ela nunca conseguiu estabelecer vínculos ou manter muitas amizades. Agora, em uma nova cidade, ela terá que se adaptar a uma nova escola e rotina, ao mesmo tempo em que precisa deixar sua introspecção de lado. Mas Rainbow não está sozinha nessa jornada, já que uma pessoa inesperada entra em seu caminho, fazendo com que ela precise rever todos os velhos preconceitos em relação aos outros, se obrigando a deixar as pessoas entrarem na sua vida. Reviravoltas, conflitos familiares e toda espécie de desventuras típicas de uma adolescente no Ensino Médio não podem competir com o que ela menos esperava encontrar: o amor e a autodescoberta. 

**ML**

Vamos conhecer a história de Rainbow Walker, uma garota cujo o
nome não é literalmente o significado
de sua vida. Com pais de estilo hippie, nossa mocinha e seus irmãos de nomes também
incomuns Sunshine e Thunder Storm, não criam raízes, seus pais vivem mudando a
procura de um lugar ideal para seus filhos, ou assim eles pensam.
Mas Rainbow que já está preste a completar 18 anos e no sênior year, não vê nada entusiasmante
em viver mudando. Na verdade, ela é a mais afetada com todas as mudanças, ela
não tem amigos ou namorado, ela procura ser o mais invisível possível,
detestando chamar atenção para si de qualquer forma.

“Minha
dificuldade de fazer novos amigos poderia, sim, estar associada ao hábito
constante de mudanças a que nossos pais nos obrigavam desde criança. Eu
provavelmente havia feito um escudo a minha volta, fazendo com que as pessoas
se mantivessem distantes; dessa forma quando eu precisasse  mudar de cidade de novo, não haveria
sofrimento e muito menos ranger de dentes. Seria fácil descartar os colegas da
escola, tal qual descartar um guardanapo. Mas esse era meu conceito. Minha
visão das coisas.”

Rainbow só não previa que tudo iria mudar. Em Westwood, a última
cidadezinha em que seus pais resolveram “acampar”, ela conhece
Rebecca que basicamente assume o posto de sua melhor amiga, assim como chama a
atenção dos tipos de rapazes que mais repudia “os populares.”

Avisada por sua BFF, Becca
que Jason é um dos caras mais desejado da Westwood School, seu sistema de
defesa logo fica ligado, o mesmo não acontece com o garoto punk Thomas Reynard que aos pouquinhos vai derrubando todos
os muros de Rainbow e passa a ser a pessoa mais importante de sua vida.

Eu já tinha passado o olho na capa de Rainbow por vários blogs
e instagrans literários, mas não tinha parado para dar a devida atenção. Quando
Izabeli, mais uma vez a Izabeli, sugeriu – basicamente obrigou – que eu
lê-se esse livro para nossa última Semana Temática de 2017, eu tive medo.
Porém, engoli o medo, né? Rainbow – que eu li pelo Kindle, não tenho o livro
físico mais quero – é um young adult
levinho. A história de Rainbow, uma menina muito introvertida, afetadíssima
pelo estilo dos pais, que sofre bullying
por ter o nome de arco íris e ainda
assim defende seus irmãos e tenta ser um pouco “a voz da razão” em
casa, é uma leitura interessante de se fazer.

Rainbow, ou Rain, discorda
bastante da forma excêntrica que seus pais os educam, em contrapartida, ela
também se isola o que acaba fazendo-a passar por todo e qualquer tipo de
constrangimento.
Quando o quarterback, lindo, desejado, com cara de punk resolve se
interessar por ela tudo piora. Thomas que só veste a armadura de durão é um
nerd romântico que se encanta por uma Rainbow que ela tenta esconder a todo
custo e é aí que nossa mocinha floresce.
Lógico que nada vem fácil, ela não consegue lidar muito bem com os
sentimentos que o garoto punk
desperta nela e muito menos com a prima louca e possessiva que ele tem.

“Thomas Reynard
havia mudado tudo aquilo em questão de alguns meses. E eu não poderia dizer que
sentia falta da minha antiga “eu”. A nova Rainbow estava muito mais
feliz e segura de qualquer coisa que quisesse fazer e realizar.”

 Além de uma sucessão de eventos nada agradáveis, um pedido de namoro
nenhum pouco convencional, Rain ainda recebe de seus pais a notícia de que eles
vão se mudar novamente.

Aqui eu deixo a história para vocês imaginarem, e correrem para ler o
livro rs.
Bom, eu não lia um livro assim, desenvolvido desse jeito faz tempo,
talvez a linguagem e a velocidade dos acontecimentos na trama me fizeram ser
tão previsível. Quando uma cena começava, eu já meio que adivinhava o que seria
o final. Mas a leitura é muito gostosa, a Martinha
escreve muito bem, é divertida e não “forçou” um hot em hora alguma,
mesmo lidando com dois jovens com hormônios aflorados.

“- Rainbow…
quando você se sentir em um túnel escuro e não conseguir ver a liz láaa no
final… – ele disse e me beijou ternamente. – Lembre-se que eu vou estar lá,
tentando iluminar o local, nem que seja com um palito de fósforo.”


Eu não dei 5 estrelas, porque talvez tenha faltado algo para mim,
sabe? Algo que me fizesse suspirar e essas coisas, mas já recomendei a leitura
as minhas amigas e recomendo a vocês.
Quanto a edição eu não posso
falar muito, porque li pelo Kindle e pode ser que seja esse o diferencial que
faltou, mas quero saber de vocês que já leram o que acharam e quem não leu me
dê um feed do que faltou na resenha.
É isso.
Beeeijos
See ya!
Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

19 Comentários

  • Rafaella Viegas

    Oiiii tudo bem??

    Confesso que comprei esse livro pela capa, e veio um kit lindo. Adorei mesmo.
    Ainda não tinha parado para ler nada sobre ele, mas gostei do que li na sua resenha.
    Uma pena que falta algo, quero ler logo para ter opinião.
    Adorei,
    BJus Rafa

  • Livros & Café

    Oi, tudo bem?

    Já li algumss resenhas desse livro, por isso conheço mais ou menos o enredo dele. A cada nova resenha que leio fico com mais dúvidas sobre se eu leio ou não esse livro. Não conseguirei ler por agora, mas vou deixar (De novo) a dica anotada para tentar ler em 2018.

  • Jessie

    Oi Ma!

    Tudo bem? Eu já li algumas resenhas do livro, nem todas positivas, então acredito que eu teria que ler para tirar as minhas próprias conclusões, mas acontece que nem aquelas que falam bem me empolgam o suficiente para falar "opa, peraí que preciso saber o que eu tenho para falar desse livro", entende?

    A questão de sofrer bullying é realmente a parte que mais me chama atenção, mas o livro não me parece tão profundo acerca do assunto sabe? Enfim, acredito que vou ter que decidir em algum momento se leio ou não Rainbow…

    Beijinhos – Jessie
    http://www.paraisoliterario.com

  • Jéssica Christina

    Oie, tudo bom?
    Menina, que resenha incrível! Eu amo livros assim, com adolescentes e high school e romance. Tudo isso sem forçar hot, já me conquistou! Achei incrível os nomes, minha gatinha quase se chamou Hurry, de Hurrycane, mas mudei de idéia depois haha. Já adicionei essa lindeza na minha lista! Beijos!

  • Lucy

    Olá!
    O título do livro me lembro de outro: Raio de Sol. Mas pelo visto os dois são bem diferentes um do outro, não sei porque eu me lembrei dele. rsrs
    Gostei da sua resenha. Não lembro de ter lido a respeito desse livro, mas até agora não tinha me chamado a atenção apenas pelo título. A premissa promete e é um livro que tem tudo para ser uma ótima leitura.
    bjs
    Lucy – Por essas páginas

  • Anelise Besson

    Oi.

    Essa capa é bem bonita, mas a premissa me pareceu muito "não sei". Essa previsibilidade me deixa um pouco com o pé atrás, então eu realmente não sei se leria. Apesar de ter sido uma leitura boa para você, esse 'faltou algo", me deixou meio desanimada, haha.

    beijos!

  • Livros Encantos

    Ola lindona, sou suspeita pois amo a escrita da Martinha, essa capa é linda demais, gosto do crescimento da protagonista desenvolvido na história. Ela cresceu e amadureceu muito no decorrer dos acontecimentos. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

  • Bruna Eduarda

    Olá!
    Eu acho a capa desse livro a coisa MAIS MARAVILHOSA! Apesar da capa, o livro em si não atraiu muito a minha atenção, não parece ser o tipo de leitura que me prende e agrada muito. Mas depois de ler a sua resenha eu penso em dar uma chance a obra 💜

    Um beijo

  • Stalker Literária

    Oi!
    Eu gosto desse livro exatamente por ele ser mais previsível, é uma história para distrair, passar o tempo e foi um livro que a autora escreveu para a sobrinha (se não me engano) que estava passando por algo parecido com a protagonista
    Mas acho bem fofa a história, e a edição física é maravilhosa, vale a pena ter pelos detalhes que a editora colocou em cada capítulo

  • Livros & Tal

    Oie!!!
    Sabia que eu amo essas histórias fofas e gostosas que nos despertam o lado bom e nos fazem sorrir como uma boba?
    Amo os clichezinhos adolescentes que nos fazem suspirar e esse livro me pareceu ser justamente isso.
    Já vi muito dele por ai, mas essa é a primeira resenha que eu leio e desejo!
    Dica anotada!

    beijos
    Livros & Tal

  • Bolog da Martinha

    Embora vc tenha postado sua resenha em dezembro, somente agora eu vi! Sorry…
    Enfim… como muitas acima disseram… eu escrevo livros despretensiosos e leves, para entreter, trazer um sorriso ao rosto, talvez um breve momento de suspiro. Escrevi Rainbow num momento especial. Eu escrevo clichês, pq acredito que todo leitor, no seu subconsciente, quer, sim, um final feliz. Então eu meio que me autointitulo “a rainha dos clichês”.
    Eu gosto de romances fofos mesmo. Deve ser meu eterno lado teen que vibra por dentro. Posso escrever young, new adult, adult… o que for. Sempre vou optar pela fofura light, pelo amor doce, pelas descobertas… pelas possíveis previsibilidades. Salvo à exceção se eu for escrever um romance muito doido tipo fantasia ( estou pensando), aonde as coisas acontecem de maneira inexplicável… mas mesmo assim… há os clichesismos lá.
    Outro fator que existe na minha escrita… eu nunca enrolo p contar um fato ou p fazer um livro ficar enorme. Eu gosto de comédias românticas com cerca de 1h30 de duração, com início, meio e fim, então acabei tentando criar essa pegada nos meus livros. Que eles se assemelhem a filmes. Vc vai, começa a ler, come uma pipoca e pá. Tadaaam. Final feliz.
    Não sei se é explicação suficiente pra ti. Ou nem sei se havia necessidade de explicação, mas tvz para preencher essa lacuna que vc sentiu, quis dizer isso a ti.
    Não tenho pretensão que meus livros sejam Colleens Hoovers da vida, entende? Eu só quero dar um momento de leitura furtiva.
    A “premissa” do livro pode não agradar muita gente, mas há uma máxima imbatível… “só sabe o sabor da laranja, aquele que já chupou”. Então… já tive muitos leitores que se surpreenderam e acharam que não iam gostar, como tive aquele que acharam que iam amar e simplesmente só gostaram. Como tive os leitores que fazem meu dia, e enviam mensagens dizendo que, de alguma forma, ler Rainbow aqueceu seus corações… isso já vale pra mim.
    Só em vc ter lido, já vale pra mim.
    Só em ter resenhado, já vale pra mim.
    Então… muito obrigada… de coração.
    E a edição interna dele é a coisa mais fofa do mundo. 😍

    Bju

    MS Fayes

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos