NATAL LITERÁRIO • BOOK TAG

Olá meus amores leitores! Hoje vim trazer para vocês, uma TAG super bacana Chamada “Natal Literário”, que remete a essa época tão maravilhosa do ano, que é o Natal! Na qual sentimos um calorzinho no coração quando está se aproximando.

 Essa TAG na verdade é um desafio que foi lançado lá no instagram pelo Instagram Literário @um.jardim.literario e eu estarei adaptando para responder aqui no blog com vocês. Ela consiste em basicamente em relacionar símbolos natalinos com livros!

Árvore: Um livro com muitas cores na capa

Um Ano Inesquecível tem uma capa que sem dúvidas chama atenção. O livro reúne quatro histórias baseadas nas quatro estações do ano, e são fofíssimas, com exceção da última, que não gostei. Me julguem. São contos ideais para quem quer fazer uma leitura rápida e sem muitas emoções, porém que nos fazem suspirar e torcer muito pelos personagens. Tenho o exemplar autografado pelas autoras uhuuu!


SINOPSE: Dizem por aí que os melhores momentos da vida são vividos na
adolescência. Os primeiros amores, os encontros, as festas, as viagens,
as surpresas… E são sempre os instantes inesperados que transformam um
dia comum em uma lembrança especial, daquelas que nunca deixarão de nos
acompanhar. Este é um livro sobre esses momentos doces e
sensíveis que não se apagam da memória tão facilmente. Quatro contos, em
quatro estações do ano, sobre jovens que passam por vivências e
sentimentos intensos. Paula Pimenta nos leva em uma viagem de inverno.
Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a
paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso
amor de verão. Histórias de um ano inesquecível que vão ficar para
sempre
!





Papai Noel: Um livro que tenha ganho de presente


Já ganhei vários livrineos, graças a meu bom Deus 😀 mas um que gostei muuuuito de ter ganho e adoro admirar sua capa, é As crônicas de Nárnia. Que livro lindo! Quero muito concluir a leitura de todos os contos, mas o meu preferido sempre vai ser, O leão, a feiticeira e o guarda roupa. Inclusive adoro o filme também.

SINOPSE: Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o
bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro
que tem tudo isso é ‘O leão, a feiticeira e o guarda-roupa’, escrito em
1949 por Clive Staples Lewis. MasLewis não parou por aí. Seis outros
livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como ‘As crônicas de
Nárnia’. Nos últimos cinqüenta anos, ‘As crônicas de Nárnia’
transcenderam o gênero da fantasia para se tornar parte do cânone da
literaturaclássica. Cada um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o
leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado
é um mundo ficcional que tem fascinado gerações. Esta edição apresenta
todas as sete crônicas integralmente, num único volume. Os livros são
apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada
capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes.
Enganosamente simples e direta, ‘As crônicas de Nárnia’ continuam
cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a
pessoas de todas as idades.

Boneco de neve: Um livro divertido como brincadeira de criança


One Man Guy foi umas das minhas melhores leituras do ano. Trata-se de um romance LGBT muito fofo e divertido de ler. Claro, os protagonistas enfrentam dificuldades, mas encaram seus medos de uma forma muito interessante. É um livro rápido, mas super rico em conteúdo, com personagens muito bem desenvolvidos. E irônicos. Adoro isso. 

SINOPSE: Um romance sobre dois garotos, dois mundos e um encontro.Ethan é
tudo o que Alek gostaria de ser: confiante, livre e irreverente. Apesar
de estudarem na mesma escola, os dois garotos pertencem a mundos
diferentes. Enquanto Ethan é descolado e tem vários amigos, Alek tem
apenas uma, Becky, e convive intensamente com sua família e a comunidade
armênia.Mesmo com tantas diferenças, os destinos de Ethan e Alek se
cruzam ao precisarem frequentar um mesmo curso de férias. Quando Ethan
convence Alek a matar aula e ir a um show de Rufus Wainwright no Central
Park, em Nova York, Alek embarca em sua primeira aventura fora de sua
existência no subúrbio de Nova Jersey e da proteção de sua família.E ele não consegue acreditar que um cara tão legal quer ser seu amigo. Ou, talvez, mais do que isso.
One
Man Guy é uma história romântica, comovente e engraçada sobre o que
acontece quando as pessoas saem de suas zonas de conforto e ajudam o
outro a ver o mundo (e a si mesmo) como nunca viram antes.“Só sei que gosto de estar aqui com você e não consigo me imaginar querendo mais ninguém. Isso basta para você?”

                

         Flocos de neve: Uma leitura congelante


Não sei exatamente o que  “uma leitura congelante” quer dizer nesse contexto, mas escolhi o livro Assassinato No Expresso do Oriente para responder. Para quem ainda não leu esse livro, eu recomendo bastante a leitura. Inclusive lançou o filme recentemente, que já quero assistir, para ontem. Agatha Christie, nesse livro, mostrou mais do que nunca, porque é a rainha do romance policial. 

SINOPSE: Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel
em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a
Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do
Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem
expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte
nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado
durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros
teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a
atacar ou escape de suas mãos.


Troca de presentes: Uma leitura acolhedora com gosto de quero mais
As coisas que fazemos por amor é sinônimo de acolhimento, pois conta a história de uma mulher que quer muito ser mãe e não consegue e de uma garota que não sabe  que é o real amor de uma mãe. Elas acabam encontrando uma na outra o que tanto procuram, mas a vida não é tão simples de ser mudada. (Inclusive há uma capítulo que narra uma troca de presentes de natal em família). Realmente um livro tocante.

SINOPSE: Caçula de três irmãs, Angela DeSaria já tinha traçado sua vida desde
pequena: escola, faculdade, casamento, maternidade. Porém, depois de
anos tentando engravidar, o relacionamento com o marido não resistiu,
soterrado pelo peso dos sonhos não realizados. Após o divórcio,
Angie volta a morar na sua cidade natal e retorna ao seio da família
carinhosa e meio doida. Em West End, onde a vida vai e vem ao sabor das
marés, ela conhece a garota que mudará a sua vida para sempre. Lauren
Ribido é uma adolescente estudiosa, bem-educada e trabalhadora. Apesar
de morar em uma das áreas mais decadentes da cidade com a mãe alcoólatra
e negligente, a menina sonha cursar uma boa faculdade e ter um futuro
melhor. Desde o primeiro momento, Angie enxerga em Lauren algo
especial e, rapidamente, uma forte conexão se forma: uma mulher que
deseja um filho, uma menina que anseia pelo amor materno. Porém, nada
poderia preparar as duas para a repercussão do relacionamento delas.
Numa reviravolta dramática, Angie e Lauren serão testadas de forma
extrema e, juntas, embarcarão em uma jornada tocante em busca do
verdadeiro significado de família.


                 Pisca pisca: Um livro que atrai atenção pela capa

Se tem uma coisa que me fez  querer ler A guerra que salvou a minha vida,  essa coisa foi a capa do livro. Vamos combinar que é uma capa linda, que enche os olhos e nos deixa curiosos a respeito da história. Além de ser uma daquelas edições lindas e caprichadas da Darkside Books. Agora, se arrependimento matasse, por  eu ter escolhido pela capa, eu continuaria  vivinha da Silva,  porque o livro é maravilhoso!
SINOPSE: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de
casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o
irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer.
Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu.
Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de
ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que
há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler
são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e
partirem para o interior, em busca de uma vida melhor. Kimberly
Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar
“história de superação”. Seu livro é um registro emocional e
historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os
grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo
longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou
dentro de casa. Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a
guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um
soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim
como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família
em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios. Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos.

 Menino Jesus: Um livro que traz uma lição de amor

Digamos que eu já tenha lido muitos livros com grandes liçoes de amor. Mas eu não poderia deixar de escolher PAX. Quem já leu sabe do que eu estou falando, e quem não leu (Ei, trate de ler logo) só posso afirmar categoricamente que o final desse livro traz uma lição de amor singular. 

SINOPSE: Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã,
ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai
servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à
distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está
onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor,
lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos
quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se
aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino,
Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.Alternando
perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens
centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de
enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada,
segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um
romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações
familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que
carregamos dentro de nós mesmos.
Pax emociona o leitor desde a
primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e
humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Editora Parceira

Aliança de Blogueiros

Arquivo