Resenha #168 O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, I – Ransom Riggs @EditoraLeya

Título: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares


Autor: Ransom
Riggs
Editora:
LeYa
Páginas: 336
Ano:
2012
Gênero: Fantasia
Nota:
4/5

Compra: Amazon

Sinopse: Tudo está à espera para ser descoberto em O
orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance que mistura
ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança
Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País
de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças
Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica
claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares.
Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo.
E, de algum modo – por mais impossível que possa parecer – ainda podem estar
vivas.

Não posso começar essa resenha sem dizer que não se
trata de um livro de terror. Por causa da capa, deixei esse livro passar, pois
não queria ficar com medo enquanto eu estivesse lendo. Só resolvi ler esse
livro por conta do filme que foi lançado (baseado no livro) e também por influência
de amigos que me garantiram que não era um livro de terror.

A capa desse livro, é um pouco intimidadora. Afinal,
temos uma menina levitando, com um rosto quase que sem expressão nenhuma. Ao longo
do livro, teremos outras imagens também, referentes as crianças peculiares e
sempre nos contextos exatos. O que me chamou muita atenção, pois nenhuma dessas
fotografias fogem do contexto da história.
O livro é narrado por Jacob, um menino de 16 anos que
mora com seus pais, mas sempre está com seu avô (
Abe Portman) que adora contar histórias surreais de
quando vivia em outro lugar quando ainda era criança. Com o tempo, Jacob para
de acreditar nessas histórias sem nexo que seu avô sempre conta e acha que essas
historinhas são para crianças.



“Meu avô foi o único membro da família que escapou da
Polônia antes do começo da Segunda Guerra. Ele tinha onze anos quando seus pais
o entregaram nos braços de estranhos e enviaram o filho caçula em um trem para
a Inglaterra sem nada além de uma mala e a roupa do corpo. Era uma passagem só
de ida. Ele nunca maisveria a mãe, nem os irmãos mais velhos, nem os primos, nem
as tias e os tios. Todos eles estariam mortos antes de seu décimo sexto
aniversário, assassinados por monstros dos quais ele escapara por tão pouco”



Os pais de Jacob já queriam colocar o Sr. Portman
em um asilo por conta dessas histórias malucas que ele contava e por acharem
que ele já estava velho demais para morar sozinho e não tinha como ir morar na
casa deles. Mas Jacob sempre foi contra isso. Até que um dia, seu avô liga
desesperado para a loja em que o neto trabalha e começa a falar que está sendo
perseguido pelos monstros que ele contava para Jacob que realmente existiam e
queria saber onde está sua arma pois percebeu que haviam escondido.



Jacob
por sua vez, disse que iria na casa de seu avô para ajudá-lo (achando que era
delírio ou algum tipo de pânico). Abe não queria que seu neto corresse riscos e
pediu para ele não ir. Mas o menino foi para tentar acalmar seu avô.





O
menino se depara com a casa toda aberta e sem ninguém em casa até que decide ir
na mata com um vizinho para procurar pelo avô. O que ele não esperava, era ver
um monstro matar uma das pessoas que ele mais amava e ao mesmo tempo descobrir
que todas as histórias que o vovô Portman contava poderiam mesmo ser reais.



A
partir desse momento, Jacob conta tudo o que viu para polícia, para seus pais e
mesmo assim ninguém acredita nele e resolvem que está na hora dele ser tratado
psicologicamente.



Jacob
quer ir até a ilha em que seu avô sempre falava. Queria encontrar as crianças
peculiares para saber se era algo real ou realmente fazia parte de sua
imaginação.

“[…] acho que conheço esse lugar de que você está falando. Fica longe, lá do outro lado da ilha, depois da charneca pantanosa e da mata, mas eu não pensaria em perambular por lá sozinho se fosse você. Afaste-se demais da trilha e nunca mais vão ouvir falar de você. Não tem nada além de mato, lama e bosta de carneiro para impedi-lo de cair de um precipício sobre rochas pontiagudas.”



Uma história comovente, que envolve
amor fraternal e carnal e que além disso tudo, tem suspense, fantasia,
mistério…



Como a maioria dos leitores desse
livro, o filme foi uma decepção para mim, mas não desisti de ler os próximos
livros dessa trilogia somente por um filme ruim. O livro é interessante e vale
a pena lermos as continuações.



Curiosidade:
Todas as fotos contidas no livro são de um banco de fotos real com leves
modificações.



Me digam nos comentários o que acharam desse livro e o que esperam dos próximos.


Beijos 🙂

Dani Fernandes

Dani Fernandes

Tenho 25 anos, sou estudante de Sistemas de Informação, mas amo o mundo do literário. Sou apaixonada por romances, mas ando me aventurando nas fantasias e suspenses.

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos