Museu Auschwitz pede a Amazon exclusão de livros de partidos nazistas

O atual museu e antigo campo de concentração nazista na Polônia, Auschwitz, pede desde de fevereiro que o empresário bilionário Jeff Bezos, faça a exclusão de livros infantis de origem antissemita de seu catálogo. Disponível a venda em vários idiomas, como o Inglês, Francês, Alemão e Espanhol, os livros que propagam o ódio são ainda vendidos em algumas plataformas pelo mundo.

Entre estes que espalham a doutrina nazista, está o livro Der Giftpilz (“O cogumelo venenoso”) escrito pelo oficial Nazi da Segunda Guerra Mundial, Julius Streicher, que detém em seus capítulos frases como: “Os judeus não são como nós. Os judeus são como demônios, e demônios não têm senso de honra, tratam apenas de maldades e crimes” (do capítulo 14, O dinheiro é o deus dos judeus)” e outras, “Eles se disfarçam, tentam ser amigáveis, afirmando mil vezes suas boas intenções para conosco. Mas não se deve acreditar neles. Judeus eles são e judeus eles serão. Para nosso povo, eles são venenosos” (do capítulo 1, O Cogumelo Venenoso).

Segundo o jornal New York Times, a plataforma fez a retirada de alguns livros de David Duke, autor de Extrema-Direita ex-lider da Ku Klux Klan, e de outros textos também de natureza antissemita, porém ainda falta muito para que sejam completamente retirados.

Julia Paranhos

Julia Paranhos

Sou uma estudante de jornalismo, completamente apaixonada por livros em especial de romance e aventura. Adoro assistir filmes, séries e doramas. Faço resenhas destes tópicos no Blog e estou extremamente feliz por fazer algo que tanto amo que é escrever.

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos