Resenha #312 Quebre a caixa, fure a bolha – Conrado Navarro @FaroEditorial

Resenha# Quebre a caixa, fure a bolha – Conrado Navarro

Título: Quebre a caixa, fure a bolha – É hora de romper as regras
Autor (a): Conrado Navarro
Lançamento: 2020
Estante: Skoob
Páginas: 160
Editora: Faro Editorial
Compra: Amazon
Literatura: Nacional
Gênero: Não-ficção, Carreira
Estrelas: 4/5

Quais habilidades estão sendo esquecidas nesta era de uso intenso das ferramentas tecnológicas e redes sociais? Você já viveu aquele momento de estar com altas expectativas e logo depois desabar numa frustração por não alcançar o que queria? Ou que, em certos momentos, lhe faltou um pouco mais de ousadia, coragem ou cara de pau para fazer algo em que acreditava? Neste livro, Conrado Navarro aborda como a realidade pode ser bem diferente daquilo que planejamos e até acreditamos controlar, e apresenta histórias e reflexões sobre o que podemos aprender com os fracassos e frustrações, para não nos tornarmos uma vítima constante deles. Para alcançar destaque na carreira, você não precisa ser próximo dos grandes líderes empresariais e ter acesso aos seus segredos profissionais. Muitas vezes, conversar com o comerciante da esquina será mais eficiente para enxergar novas perspectivas. Duvida? Ele comprova aqui. Conrado também mostra que para criar oportunidades de negócios e novos apoiadores para suas ideias, faz mais sentido convidar pessoas que você admira para uma conversa do que ficar tratando tudo virtualmente. Quebrar a caixa e furar a bolha significa olhar a realidade de um outro ângulo, assumindo riscos e responsabilidades como parte de um plano. E este livro traz as provocações certas para motivar quem, de fato, quer estourar a bolha e sobressair em qualquer atividade.

Resenha feita em parceria com a editora.

Antes de começar a falar desse livro, eu preciso dizer a quem se destina essa leitura. O livro aborda o tema Carreira/Negócios, e é voltado ao público jovem, que está iniciando sua vida profissional. Mas pode, com toda certeza, trazer muitos insights para outras áreas da sua vida.

“Quebre a caixa, fure a bolha” traz relatos e conselhos de uma forma descontraída, como se você estivesse batendo um papo com o autor, ali no café da esquina. Com essa leitura podemos aprender, através das experiencias e conselhos do autor diversas formas de “estourar a bolha”. Ou seja, sair da zona de conforto e encarar os desafios de inicio de carreira, independente da profissão que você queira seguir.

Algo que ele defende fortemente é que devemos nos arriscar, com responsabilidade, assumindo toda a consequência das nossas escolhas, sem culpar aos outros pelos nossos fracassos e sem se encostar na família. Por mais que seja milhares de vezes mais fácil apenas ‘seguir o curso’, se você nem ao menos tentar fazer coisas diferentes, nunca vai sair de dentro da sua bolha e perderá oportunidades incríveis que a vida tem a lhe oferecer.

“Estourar sua bolha” é encarar o desafio de viver a própria vida assumindo responsabilidades e riscos de forma consciente, encarando as consequências de tudo isso como parte do processo, o que pressupões não terceirizar.

Ao longo do livro, Navarro conta parte da sua trajetória, seus erros e acertos e tudo o que ele aprendeu com cada uma das fases de sua vida profissional. Também explica como isso pode ser útil para você que também tem grandes sonhos.

Nós normalmente temos medo do desconhecido. Na adolescência são tantas descobertas, tantas preocupações com o futuro e aquela incerteza sobre a carreira pairam como uma nuvem escura sobre a nossa cabeça. Conrado mostra que “Tentar e errar na escolha do curso, da Faculdade, vacilar bastante no primeiro emprego ou estágio, são coisas que acontecem”. Mas em todas elas podemos aprender algo e mudar a nossa atitude.

Os livros desse gênero geralmente tem uma linguagem difícil, e usam termos familiares apenas para quem já atua no mercado. Mas, Conrado Navarro conseguiu trazer esse tema de uma forma simples, com exemplos e reflexões, do que aconteceu em sua vida mesmo, tornando assim, a leitura muito mais fácil de compreender.

Outra coisa que facilita bastante é o fato dos capítulos serem curtos e bem divididos. No início de cada capítulo ele traz um “Expectativa x Realidade”, e no final algumas frases que resumem o aprendizado de uma forma bem didática, eu diria. Conrado fala de seus fracassos, que na verdade serviram de incentivo para se superar. ” Não tenha vergonha dos seus erros, eles vão te moldar e tornar em alguém melhor e mais resiliente. “

Outra coisa que gostei bastante é que ele não romantiza o empreendedorismo, de fato não é algo fácil e a maioria falha na primeira tentativa, mas isso não é razão para desanimar. Ele te incentiva bastante e dá muitas dicas práticas do que fazer.

Estar errado não é o problema. A teimosia em aceitar o erro e aprender com ele é o perigo. Não se mede o sucesso pelo número de acertos, mas principalmente pelo comportamento diante das frustrações.

Espero que você aprecie essa leitura. Embora o livro possa ser lido rápido, eu sugiro que você o leia com calma. Digerindo bem cada capítulo e aplicando os aprendizados. Esse livro traz uma base para o assunto. Eu o recomendo fortemente a quem gosta de empreendedorismo, mas não sabe por onde começar. Deveria até ser uma leitura sugerida nas escolas para os jovens do ensino médio.

Agora se você já está bem por dentro do assunto, pode simplesmente achar que ele retrata tudo de forma muito básica sobre o empreendedorismo e as dificuldades iniciais na carreira. O livro tem pontos e conceitos interessantes para quem quer conhecer esse universo do Empreendedorismo que é uma longa caminhada e é só inicio mesmo, porque são tantas outras aprendizagens no dia a dia, que fica muito claro a visão do Conrado, pelos seus insights.

Não se mede a competência e o sucesso de ninguém pelo número de curtidas – há uma história maior e mais complexa antes disso.

Dani Ella

Dani Ella

Meu nome é Daniela, sou paulista, e tenho 28 anos, mas no meu coração ainda sou uma criança que ama comer doces e passear de bicicleta por aí. Me apaixonei pelos livros na infância, com gibis e livros ilustrados. Já li de tudo mas sempre preferi os chick-lits.

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos