Resenha #313 História de um Grande Amor – Julia Quinn @editoraarqueiro


Título: História de um Grande Amor (Trilogia Bevelstoke #01)
Autora: Julia Quinn
Lançamento: 2020
Estante: Skoob
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Comprar: Amazon
Literatura: Internacional
Gênero: Romance de época
Estrelas:  3/5

Aos 10 anos, Miranda Cheever já dava sinais claros de que não seria nenhuma bela dama. E já nessa idade, aprendeu a aceitar o destino de solteirona que a sociedade lhe reservava. Até que, numa tarde qualquer, Nigel Bevelstoke, o belo e atraente visconde de Turner, beijou solenemente sua mãozinha e lhe prometeu que, quando ela crescesse, seria tão bonita quanto já era inteligente. Nesse momento, Miranda não só se apaixonou, como teve certeza de que amaria aquele homem para sempre. Os anos que se seguiram foram implacáveis com Nigel e generosos com Miranda. Ela se tornou a mulher linda e interessante que o visconde previu naquela tarde memorável, enquanto ele virou um homem solitário e amargo, como consequência de um acontecimento devastador. Mas Miranda nunca esqueceu a verdade que anotou em seu diário tantos anos antes. E agora ela fará de tudo para salvar Nigel da pessoa que ele se tornou e impedir que seu grande amor lhe escape por entre os dedos.

Fonte: Amazon

O livro começa com Miranda Cheever aos 10 anos, na casa de sua melhor amiga Olívia para comemorar o aniversário dela e do irmão gêmeo, Winston. O pai se esquece de ir buscá-la, então lady Rudland pede a Nigel Bevelstoke, irmão mais velho dos gêmeos, para acompanhá-la até em casa. No caminho, os dois conversam, e Nigel gentilmente diz que se tornará uma bela moça. Assim, Miranda se apaixona perdidamente por ele.

Com o passar dos anos, Miranda cresceu e floresceu belamente. O mesmo não ocorreu para Nigel. Ele se casou e passou uma vida infernal ao lado da esposa infiel, sentindo alívio pelo seu falecimento. Nigel se tornou um homem amargurado, rancoroso e sarcástico. Após o luto, ele é obrigado pela mãe a ajudar no debut de Olívia e Miranda. Além disso, Olívia pede a sua ajuda para unir Miranda e Winston, que começou a demonstrar interesse. E assim, Nigel e Miranda começam a conviver.

Esse romance eu li na adolescência, na casa da minha avó. Me trouxe uma sensação nostálgica rele-lo. Acredito que devido a esses sentimentos, foi difícil dar uma nota, mas resolvi ser honesta com a minha leitura, então vamos lá.

Miranda é uma moça tímida, inteligente, meiga, mais racional, determinada e forte. Ela tem uma aparência comum, por isso acredita que não atrairá atenção de nenhum rapaz. Mas é devido ela ter toda essa personalidade que acaba atraindo a atenção de Winston. Porém, ela sempre foi apaixonada por Nigel desde criança.

Nigel é um homem muito bonito, inteligente, sagaz. Se tornou um homem rancoroso devido ao péssimo casamento. Ele não acredita no amor, e acabou sendo sarcástico nesse assunto. Ele é obrigado a ajudar no debut da irmã e também ajudar Winston e Miranda a se aproximarem. Mas ao longo do tempo, os seus sentimentos mudam em relação a Miranda. Ele percebe que é um moça linda com personalidade, e que consegue conversar com ele em igualdade.

Adoro as conversas deles, é muito bem construído e fluido, em qualquer assunto. Além disso, o redescobrimento do amor em ambos é o que dá o charme a história. Miranda reaprende a amar o Nigel fora das lembranças de infância, e Nigel revaloriza o amor.

Mas eu não gostei de algumas coisas. A primeira é a Olívia. Ela é uma pessoa maravilhosa, mas querer um relacionamento entre o irmão e a amiga a qualquer custo me irritou demais. A segunda foi a atitude do Nigel. Ele sabe que tem uma responsabilidade, mas é covarde e foge, e depois de muito tempo, volta e quer assumir a responsabilidade de qualquer jeito, forçando a Miranda a fazer as coisas do jeito dele. Com o decorrer da história, fiquei cada vez mais decepcionada com o personagem.

A terceira é a própria Miranda. Ela é uma mulher toda poderosa, mas em alguns momentos ela aceita as coisas como são e simplesmente acata o que decidiram por ela, em outros ela não impõe a própria opinião sobre o assunto. Essas partes me deixaram frustadas. Outra coisa é o pai dela. Claramente ele não se importa com a filha, preferindo os estudos a cuidar dela. Sério, que pai horroroso.

O final foi bom, me emocionei e foi muito bonito. Mas com certeza esperava bem mais de um livro da Julia Quinn.

É uma trilogia, então espero que os próximos sejam melhores.

E vocês, o que acharam do livro?

Beijinhos e até a próxima o/

Simone Haru

Simone Haru

Hellou! Sou Simone, idade acima dos 18 anos, moradora da cidade das Mangueiras e do Círio de Nazaré, Leitora e Otaku desde que me lembro. Atualmente amo romances de época, policial e romance dark, além de mangás e novels asiáticas, mas tenho a mentalidade de que se for interessante para mim, eu leio. Amo assistir animes, e gosto de ver doramas, séries e filmes de vez em quando.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Arquivos