Resenha #142 Dominada, série The Enforcers #2 – Maya Banks @gutenber_ed

Título: Dominada, Série The Enforcers #2
Autor (a): Maya Banks
Lançamento: 2018
Estante: SkoobGoodReads
Páginas: 307
Editora:  Gutenberg
Literatura: Estrangeira
Gênero: Erótico, Ficção,
Romance
Estrelas: 3/5

Sinopse: Eles não seguem as regras. Eles FAZEM as regras.
O desejo que explodiu
em Submissa continua em Dominada. O 2º livro da série que vai mexer com você da
cabeça aos pés. Poder, sedução, dinheiro, obediência, dominação e prazer. Nesse
jogo, o amor não entra nas regras. Até agora….
Para salvá-la, ele foi
obrigado a traí-la…
No mundo sombrio de
Drake, seus inimigos não hesitariam em explorar qualquer ponto fraco para
chantageá-lo e enfraquecer seu poder. Por isso, ele construiu sua reputação e
seu império sobre um princípio muito sólido: a invulnerabilidade. Drake sempre
foi temido e respeitado por não ter nenhuma fraqueza que poderia ser usada
contra ele. Até conhecer Evangeline — seu anjo. Uma mulher que derrubou todas
as suas barreiras e defesas como ninguém jamais conseguiu. Mas, para salvá-la,
Drake foi obrigado a fazer o inimaginável e a expulsou de sua vida.
Mas não vai desistir
até reconquistá-la.
Devastada, humilhada e destruída, Evangeline não sabe o que
fez para Drake ter se virado contra ela de modo tão violento. A jovem só sabe
que nunca mais será a mesma. Ele a libertou de todas as suas inibições apenas
para transformá-la em prisioneira de uma dor incurável. Mas quando Drake a
reencontra, Evangeline descobre que há muito mais do que ela imaginava no
misterioso mundo daquele homem.





**ML**
Livro cedido pela Aliança de Blogueiros do Rio de Janeiro.


Dominada começa justamente com nos acontecimentos finais do primeiro
livro da série Submissa.

   Evangeline deixando o apartamento
de Drake, logo depois dele ter humilhando-a na frente de homens
desconhecidos…

Cinco dias que Drake Donovan vem
sentido na pele as consequências de seus atos infelizes, palavras pavorosas
ditas àquela que ele jurou não magoar e, somente cuidar e manter feliz.

Drake tem provado como o inferno
pode ser. Ele não consegue dormir ou comer pensando em como o seu anjo, sua
Angel está.

Evangeline não está diferente, se
encontra desolada, mal dorme ou come também, mas, tenta a todo custo manter controle
tempo suficiente para realizar a limpeza do pequeno e medíocre hotel onde tem
trabalhado, a fim de juntar dinheiro, para deixar Nova York e voltar para a
casa de seus pais.

Infelizmente se entregar ao
relacionamento com Drake acarretou no rompimento com as amigas, as únicas
pessoas que tinha na grande metrópole, antes de deixar tudo para traz e ir
morar e se submeter única e exclusivamente a Drake (um homem que conhecia somente há alguns dias).

Sendo
obscuro, misterioso e muito poderoso, Drake até então sentia-se impotente, já
que seus homens depois de vasculhar Nova York inteira ainda não haviam
encontrado Evangeline. Mas quando o porteiro do prédio, um dos homens que se
renderam aos encantos da doce e inocente Angel, para Drake, às 3hs da madrugada
para ter certeza de quais são os sentimentos por Evangeline, além de informá-lo
o seu paradeiro, suas esperanças se acendem um pouco.

Drake
ruma ao lugar onde Evangeline está e o estado, assim como a situação, que ele a
encontra o fazem se desesperar. Ela não está fisicamente bem e tudo isso é
culpa dele.

Assim
que sua presença é reconhecida, Evangeline sente pavor, medo de qual será a
motivação de Drake ter ido ao seu encontro.

Diante
do que seus olhos revelam, Drake começa sua tentativa de pedir perdão, ele
começa a dar explicações (do seu jeito)
e tenta conseguir o perdão de Evangeline por suas ações.

Novas promessas são feitas, novos atos são realizados
e a moça que o ama tão fortemente que é capaz de coisas impensáveis por esse
homem o perdoa, eles voltam ao dia a dia tão normal quanto julgam possível.



Isso
dura tempo o suficiente para que Drake finalmente mostre a todos que está
envolvido com Evangeline, eles ficam noivos e felizes no mundo de –
Submissão/Dominação -, até que novos obstáculos são encontrados e o
amor/lealdade de Evangeline é posto à prova…

Eu li Dominada
em 2 dias, a trama é intensa, bem detalhada e bem fictícia.
Alguns
aspectos da personalidade e das atitudes dos personagens vão muito além da
realidade. Lógico que existem mulheres totalmente submissas, mas a protagonista
aqui testou minha capacidade de aceitação.

A
autora, Maya Banks, a qual eu ainda
não tinha conhecido a escrita, nesse livro, mais especificamente nessa série,
“endeusa” situações que não me agradam nem um pouco. Seja em
relacionamento de amizade, parental ou romântico. É, sem ser muito juíza, uma
forma de romantizar abusos.

O livro
traz na trama dois mundos diferentes, o
BDSM e o das facções criminosas
e até aí tudo bem, eu vi um pouco do que é
ser Sádico na outra série de livros
famosa que já conhecemos. Em alguns momentos da leitura eu cheguei começar a
querer me compadecer de Drake, ele foi rejeitado pelos pais, nunca teve ou
sentiu amor, construiu um império com as próprias mãos, teve que se envolver em
situações obscuras para ser respeitado. Mas na hora de respeitar ele me
decepcionava.


Já a
Evangeline me irritou consecutivas vezes com sua ingenuidade, nas vezes que
agia era tão impulsiva e depois tão arrependida que eu queria estapeá-la. Fora
que a “visão/julgamento” dos outros personagens do livro para com as
demais mulheres é absurdo.

Enfim, Dominada
é um livro que se cair na hyper, gerará polêmica, sinto-me honrada de poder
tê-lo lido, pois o mundo tá aí e, sabemos que mesmo tendo várias situações
potencializadas, existem mulheres que aceitam certos pontos e ele nos dá um
sinal de alerta.

Achei a
escrita da autora relevante, muitos detalhes podiam ser poupados, mas ela me
mostrou ser expert em descrever atos de submissão. Quanto a diagramação do
livro, bem, tem erros de tradução e revisão, o que pode tornar a leitura
cansativo, mas no geral é boa e, a capa que a Editora Gutenberg manteve
original, no entanto revela muito sobre a trama e sem dúvidas é excelente.

Dei 3
estrelas ao livro, mas não justifica que eu não recomende a leitura. Quem curte
cenas hots, atos de submissão e muito erotismos, pode com certeza embarcar
nessa leitura.
Ao
mais, acho que estou perto de encerrar minha preferência pelo gênero kkkk.



Deixem-me
saber o que acharam da resenha e quem já leu e é fã da autora, confirma comigo
se somente essa série é assim e se eu posso dar uma nova chance a ela.

Beeeijos

See ya!

Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK' Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categorias

Editora Parceira

Aliança de Blogueiros

Arquivo