Resenha #265 O Julgamento de Gabriel – Sylvian Reynard @editoraarqueiro

Resenha #265 O Julgamento de Gabriel – Sylvian Reynard @editoraarqueiro

Título: O Julgamento de Gabriel (O Inferno de Gabriel #2)
Autor (a): Sylvain Reynard
Lançamento: 2013
Estante: Skoob
Páginas: 384
Editora: Arqueiro
Comprar: Amazon
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance, Ficção, Erótico
Estrelas: 4/5

Sinopse: Gabriel Emerson e Julia Mitchell se conheceram há muito tempo, quando ela ainda era adolescente, numa noite mágica e confusa. Mas, apesar de todo o sentimento que nasceu entre eles, no dia seguinte seus caminhos se separaram.
Anos depois eles se reencontraram quando Julia começou o mestrado na Universidade de Toronto. Gabriel era um professor enigmático, sedutor e muito arrogante que a atormentava e perseguia. No entanto, o que mais fazia Julia sofrer era ele não se lembrar dela.
Mas nem mesmo o insensível Gabriel é capaz de resistir à profunda conexão que existe entre eles e logo os dois embarcam numa tórrida paixão proibida. Com o fim do semestre e do curso ministrado por Gabriel, eles deixam de ser professor e aluna e enfim estão livres para viver seu amor. Ou pelo menos era o que pensavam.
Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados.
Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que o professor vai ceder às ameaças ou irá lutar até o fim por sua amada? Será que essa paixão conseguirá resistir a um julgamento implacável?
Na apaixonante sequência de O inferno de Gabriel, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.

“Ás vezes até o mais puro amor pode ter consequências devastadoras.”

Este é o segundo livro da trilogia o inferno de Gabriel. Confesso que li o primeiro livro e me apaixonei, porém, esse segundo livro me deixou um tanto quanto frustrada, pois o desenrolar da história me pareceu ao mesmo tempo demorado e corrido.

Não há necessidade de explicar quem são os personagens, pois todo mundo sabe que Júlia e Gabriel regem esse romance. Porém, a história de amor dos dois sofre muitos contratempos e com isso eles são obrigados a se separarem.

Por culpa de maus julgamentos, chantagens e até casos suspeitos, Júlia se vê perdida e sem Gabriel. Acontece que a ambição e o ódio de Christa Peterson com Júlia vão além do que se pode imaginar infelizmente um acontecido na viagem do nosso casal a Itália acaba por causar eventos que comprometem a união dos dois.

“O amor é fazer uma gentileza para alguém, não esperando receber nada em troca.”


Em um ato de nobreza, mesmo sabendo que isso poderia destruir tudo que os dois construíram e depois de terem passado por várias situações durante o período de férias em sua cidade natal, Gabriel toma decisão de se afastar de Júlia sobre condições que não a prejudicariam no seu futuro mestrado na universidade de Harvard.

Infelizmente essas decisões foram tomadas por impulsos e sem muitas chances de explicações a Júlia, logo isso causa na nossa moça uma depressão profunda e sentimento de rejeição crescente. Pois, segundo ela era mais do que óbvio que um dia Gabriel se enjoaria de sua relação e a rejeitaria como acontece.

Eventos acontecem, Júlio se muda e tenta a trancos e a barrancos seguir com a sua vida mesmo sabendo que em seu coração Gabriel ainda ocupa grande espaço. Graças ao amor e essa força que une os dois, passado no período de tempo onde Gabriel cumpriu com a sua pena e sai do seu purgatório pessoal ou inferno pessoal, finalmente ele pode se encontrar com Júlia novamente.

“Passei tempo demais nas sombras. Estou ansioso por estar na luz. Com você.”

Inicialmente o amor não fala mais alto, por meio de ações e muita conversa ele precisa convencer Júlia do que realmente aconteceu e ele foi obrigado a fazer para salvá-los.
É realmente nesse momento que há o clímax da história, onde ambos descobre a profundeza e o significado de tanto amor.

*ML*

Acho que o que me deixou meio frustrada com o livro foi a forma insistente em que Paul se mostrava ser um bom amigo e ao mesmo tempo queria que Júlia se apaixonado por ele. Também a forma como ele julgava Gabriel por ações desconhecidas para todos, ninguém sabia os verdadeiros motivos pelo qual ele assumiu toda culpa do relacionamento perante a reitoria da universidade, ninguém entendeu o que ele quis dizer com o livro e o que cita para Júlia em sua despedida.

Paul julgou e tentou de todas as formas colocá-lo contra Júlia e até a fez duvidar de tudo que aconteceu entre eles.


“Gabriel? Senti tanto a sua falta. Eu sei que você me amou. Só não entendo porque não me amou o suficiente para ficar.”


Meu incômodo real nessa parte da história é que amor é amor, você não pode e não deve se meter, por a prova e muito menos fazer com que a pessoa escolha um lado. Não consigo me dar muito bem com triângulos amorosos desde a época de crepúsculo, não aceito também que outra pessoa fique alimentando desconfiança e inseguranças na pessoa que ele diz amar.

Porém o autor ou autora, ainda não sabemos qual é o gênero de Sylvan Reynald, achou esse mistério o máximo. Voltando a história achei muito engenhoso a forma como a história se desenrolou, mesmo com as minhas ressalvas.

O amadurecimento dos personagens principais foi notório e emocionante, a entrega dos dois ao que sentem e a grandeza com que dão segmento a relação deles é o que faz esse livro ser especial. Quanto a editora arqueiro, não há dúvidas sobre a dedicação a essa trilogia. A maneira elegante e linda como eles cuidam da diagramação e das referências citadas no livro é impressionante.


“Você está me ensinando a amar e suponho que eu esteja lhe ensinando amar também, de certa forma. Não somos perfeitos, mas podemos ser felizes. Não podemos?”


Obviamente que indicação desse livro é indispensável, recomendo que tenha lido o primeiro livro e que também leiam a minha resenha que está aqui e já deixo ressaltado que a minha nota de quatro estrelas é simplesmente pelas ressalvas que já citei aqui.
Não vejo a hora de ler finalmente A Redenção de Gabriel e trazer o quanto antes para vocês o desfecho dessa trilogia.

Espero que vocês leiam e quem já leu me diga o que acharam da resenha.
Vejo vocês em breve, beijos.

Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *