Resenha #290 O Conto da Aia: Graphic Novel – Margaret Atwood @editorarocco

Título: O conto da aia
Autor: Margaret Atwood
Lançamento: 2019
Estante: Skoob
Páginas: 240
Editora: Rocco
Comprar: Amazon
Literatura: Internacional
Gênero: Distopia, Drama, Graphic Novel
Estrelas: 4,5/5

Tudo o que as Aias usam é vermelho: como a cor do sangue, que nos define. Offred é uma aia da República de Gilead, um lugar onde as mulheres são proibidas de ler, trabalhar e manter amizades. Ela serve na casa do Comandante e de sua esposa, e sob a nova ordem social ela tem apenas um propósito: uma vez por mês, deve deitar-se de costas e rezar para que o Comandante a engravide, porque em uma época de declínio da natalidade, Offred e as outras Aias têm valor apenas se forem férteis. Mas Offred se recorda dos anos anteriores a Gilead, quando era uma mulher independente, com um emprego, uma família e um nome próprio. Hoje, suas lembranças e sua vontade de sobreviver são atos de rebeldia. Provocante, surpreendente, profético. O conto da Aia é um fenômeno mundial, já adaptado para cinema, ópera, balé e uma premiada série de TV. Nessa nova versão em graphic novel, com arte arrebatadora de Renée Nault, a aterrorizante realidade de Gilead é trazida à vida como nunca antes.

***

Esse é o primeiro liro que eu faço resenha para o Projeto 1001 Livros para Ler Antes de Morrer e já começo com um livro polêmico. Escrito na década de 1980, ele não teve a devida atenção e nem causou tanto incomodo nas pessoas na época de seu lançamento, porém, agora, muitos anos depois, vem causando uma comoção grande, tanto o livro, como a adaptação e essa edição em formato de graphic novel.

O Conto da Aia se passa num momento onde o mundo sofreu com guerras e vários desastres. Como solução, os homens acharam por bem instaurar uma ditadura religiosa onde as mulheres precisam ser protegidas e aquelas com a capacidade de ter filhos (coisa rara) se tornam aias. Feitas para serem meras reprodutoras dentro de uma casa e assim que seus papéis são desempenhados elas seguem para a próxima casa.

Assim, seguimos Offred em sua jornada como aia. Ela nos conta toda sua vida como aia e principalmente como mulher numa sociedade opressora. Ela relembra seu passado e todo ocorrido até chegar ao ponto em que se encontra, como a sociedade saiu de um ponto onde todos eram iguais e livres, até o momento onde a mulher é apenas um objeto a ser classificado como esposa ou aia.

A narrativa não é linear, mostrando ora o passado e ora o presente, mas isso se deve a maneira de pensar da protagonista, Offred, e não atrapalha de maneira nenhuma a leitura do livro. As ilustrações e a adaptação foram feitas pela artista Renne Nault que alterna traços leves com sombrios, dando um ar mais pesado a narrativa nos momentos certos.

Eu não posso comparar a Graphic Novel com o livro em si, pois não li o livro, preferi fazer a leitura da história em formato de HQ, pois achei que seria um pouco menos impactante para mim (visto que não consegui ver a série até hoje, que dirá ler o livro todo). A edição da Rocco está impecável, com capa aveludada e as ilustrações feitas por Nault trazem um tom mais sombrio e primoroso à história.

Essa é uma história que deve ser lida e refletida por todos (principalmente na nossa sociedade atual). Eu recomendo para todo mundo, seja a Hq ou o livro, é uma história que todos devem ler!

Beijos e até a próxima!

Bell

Bell

Sou Bell Paula, tenho 28 anos e sou Bacharel em química e estudante de Tecnologia de Processos Químicos. A leitura está presente na minha vida desde criança, quando meus pais compravam para mim os gibis da Turma da Mônica, isso com meus 8 anos. Apaixonada por série que ninguém conhece, filmes clichês e músicas estranhas, tenho no manuscrito um lugar para falar das minhas leituras e compartilhar minha paixão. Amo livros de YA, romance e fantasia, mas adoro um bom clichê.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Categorias

Editora Parceira

Aliança de Blogueiros

Arquivo