Resenha #306 Birthday Girl, “O Presente Perfeito” – Penélope Douglas @TheGiftBox

Resenha #306 Birthday Girl, “O Presente Perfeito” – Penélope Douglas @TheGiftBox

Título: Birthday Girl, “O Presente Perfeito”
Autor (a): Penélope Douglas
Lançamento: 2019
Estante: Skoob
Páginas: 407
Editora: The Gift Box Editora
Compra: Amazon
Playlist
Literatura: Estrangeira
Gênero: Ficção, Romance
Estrelas: 3/5
Sinopse: JORDAN
Ele me acolheu quando eu não tinha outro lugar para ficar. Ele não me usa, me magoa ou se esquece de mim. Ele não me trata como nada, não me despreza, ou me faz sentir insegura. Ele se lembra de mim, ri comigo e olha para mim. Ele me escuta, me protege e me enxerga. Sinto seus olhos em mim sobre a mesa do café da manhã, e meu coração dispara quando o ouço entrar na garagem depois do trabalho. Preciso parar isso. Não pode acontecer. Minha irmã me disse uma vez que, não existem homens bons, e se você encontrar um, ele provavelmente será comprometido. Só que o comprometido aqui não é Pike Lawson.
Sou eu.
PIKE
Eu a acolhi porque pensei que estava ajudando. Ela prepararia algumas refeições e daria uma limpada na casa. Era um acordo simples. Com o passar dos dias, porém, está se tornando tudo, menos simples. Tenho que parar de pensar nela e de prender a respiração toda vez que nos esbarramos pela casa. Não posso tocá-la, e eu não deveria querer. Quanto mais me vejo cruzando o seu caminho, mais ela se torna parte de mim. Mas não estamos livres para ceder a essa atração. Ela tem dezenove anos e eu trinta e oito. E sou pai do namorado dela. Infelizmente, os dois acabaram de se mudar para a minha casa.
*BIRTHDAY GIRL é um romance contemporâneo, adequado para maiores de 18 anos.

**ML**

Apesar de ler bastante livros adultos, eu não tinha tido nenhum contato com a Penélope Douglas, até que vi um grupo de amigas falando sobre esse livro e tive curiosidade sobre a história.

Birthday Girl, “O Presente Perfeito” vai contar história de Jordan, uma jovem que acaba de completar 19 anos e nunca se sentiu desejada na vida. Parece que todos ao seu redor só a enxergam como um ser comum, nem sua família completamente disfuncional e seu namorado, que ao meu ver é um completo babaca, dá o devido valor que a moça merece e quer receber.

De fato, os acontecimentos bizarros que acontecem na vida dela nos últimos dias, nos fazem ver a trajetória de uma jovem que é lutadora e que busca ver sempre o melhor de tudo e proteger aqueles que ama.

“— Na verdade eu não ligo para a cerimônia — responde, olhando para a televisão. — Eu só quero a vida.”

Infelizmente nem tudo são flores, principalmente depois do que acaba acontecendo com Cole, o namorado egoísta, exatamente no dia do seu aniversário. Jordan e o rapaz são basicamente forçados a irem morar na casa do pai dele. Que ela nunca tinha sido apresentada, até que o encontro daquela noite no cinema horas antes.

Isso faz com que Jordan se veja ainda mais como uma indesejada e, consequentemente, aos poucos um vínculo afetivo com Pike, o pai bonitão do seu namorado, vai se formando sem pretensões. Porém, o modo de viver recluso, de poucas palavras e gestos controlados, faz muito mais sentido para a moça do que imaginam. Os dois tem mais coisas em comum do que suas relações paralelas.

Pike procura a todo momento manter uma relação saudável com o filho que, além mimado, foi absurdamente alienado por sua mãe e só se importa com o pai quando lhe convém, é um irresponsável e não valoriza tudo que Jordan faz para tentar salvar o namoro deles. Todos esses fatores somados ao amor paternal, fazem com que Pike comece a zelar pelos pequenos fatos que agradam a namorada do seu filho e os sentimentos, que vão crescendo, acabam desestabilizando a relação entre eles.

“— Eu sabia que você estava lá fora em algum lugar — revelo, a boca curvando em um sorriso triste. — As namoradas, mulheres com quem saí, a mãe de Cole… Nunca quis me casar com ninguém, porque não eram o que eu estava procurando.”

Nenhum dos três esperava que as coincidências fossem trazer uma ligação tão forte, que o instinto de proteção e cuidado, além da atração que ligou Jordan a Pike desde o primeiro momento, se tornasse tão forte. Jordan já vem percebendo a degradação do seu namoro e o desinteresse de Cole e a falta de companheirismo e responsabilidade só concretizou tudo quando ela presenciou uma traição, que vinha acontecendo há algum tempo e que foi a gota final para desencadear o turbilhão que a reviravolta dessa história tem.

**ML**

Chega por aqui senão acabo dando spoiler e não é essa minha intenção.

Comecei a leitura e, de certa forma, achei que ela estava um pouco arrastada, porém acabei construindo gradativamente sentimentos por Jordan, apesar de achá-la muito submissa, e criei meu próprio ponto de vista sobre o Pike.

“— O tempo passa num piscar de olhos — explica. — E o medo te dá as desculpas que você deseja para não fazer as coisas que sabe que deveria. Não duvide de si mesma, não suponha, não deixe o medo te segurar, não seja preguiçosa, e não baseie suas decisões no quanto elas farão outras pessoas felizes. Arrisque-se e vá à luta, está bem?”

Obviamente que vemos um relacionamento amoroso nascer entre uma moça, uma moleca 19 anos, e um homem maduro com os seus 38 anos. Por mais que pareça clichê e até um pouco de tabu, essa história vem com várias observações sobre como deixamos que nos tratem.

Não sabia o quanto é escrita da Penélope é interessante e, apesar de achar que ela enrolou demais em alguns aspectos da história, o ponto de vista dela, o modo de conduzir o romance e até mesmo o hot é interessante. Esse é o segundo livro da The Gift Box que eu leio e estou muito vendida por essa editora.

Minha nota 3 não tem nada relacionado com a editora, a diagramação e escrita da autora. Mas como eu disse antes, o fato da protagonista ser muito submissa e se calar em momentos que eu não aceitaria ficar calada acabou me incomodando. O que não interfere de maneira alguma para que eu recomende a vocês esse livro que tem uma capa espetacular e uma playlist de tirar o fôlego.

Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

Arquivos