Resenha #321 Desgrávida – Jenni Hendriks e Ted Caplan @FaroEditorial

Resenha #321 Desgrávida – Jenni Hendriks e Ted Caplan @FaroEditorial

Título: Desgrávida
Autor: Jenni Hendriks e Ted Caplan
Lançamento: 2020
Estante: Skoob
Páginas: 256
Editora: Faro Editorial
Comprar: Amazon
Literatura: Internacional
Gênero: Romance, chick-lit, jovem adulto
Estrelas: 3,5/5,0

Escolha era apenas o começo de uma jornada. Veronica Clarke nunca foi reprovada num teste e nunca desejou isso. Até agora… Aluna exemplar, aos 17 anos, ela parece ter uma vida perfeita: um namorado apaixonado, pais que se orgulham dela e uma vaga na universidade dos seus sonhos. Mas, pela primeira vez, um resultado de positivo não lhe parece algo bom. Ao fazer um teste de gravidez, Veronica se descobre grávida e fica em pânico ao ver seus planos de futuro irem por água abaixo. Desesperada, ela decide realizar um aborto. Com medo de enfrentar julgamentos, Veronica encontra uma aliada improvável… a rebelde Bailey Butler, sua ex-melhor amiga, é a única com quem ela pode contar. Para tentar realizar o procedimento, as duas partem em uma viagem de mais de três mil quilômetros, em meio a loucuras, risadas, cumplicidade e discussões que reabrem cicatrizes que precisam arder antes de, talvez, serem curadas.Talvez um teste positivo seja o menor dos problemas. Talvez o percurso seja mais importante. Talvez aprender a rir da vida e não levar tudo a sério seja um caminho. Será?

***Livro cedido em parceria com a editora***

Veronica Clarke é a adolescente perfeita. Ótimas notas, oradora da turma, histórico perfeito, tem vaga numa das melhores faculdades dos Estados Unidos, melhor filha e com um namorado perfeito de dar inveja em qualquer garota. Tudo era perfeito, sua vida acadêmica, sua vida pessoal e sua vida amorosa. Ou tudo era perfeito, até sua menstruação atrasar. Decidida a descobrir se realmente está grávida ela faz um teste de farmácia no banheiro da escola e exatamente quando seu teste dá positivo ela esbarra em Bailey Butler, sua ex-melhor amiga.

Veronica não quer ser mãe aos 17 anos e decide que precisa fazer um aborto. Ela aproveita o fim de semana que teria com suas amigas e procura seu namorado decidida a ir até Albuquerque em uma clínica para fazer aborto junto com ele. Mas ela não esperava que Kevin tivesse culpa em sua gravidez e que é bem mais do que um simples acidente.

– Mas e se realmente foi um erro único? E se foi apenas um impulso estúpido? Talvez ela estivesse cansada de sempre ser tão perfeita. Ela erra uma vez e toda sua vida desmorona?

Agora, enfurecida com seu namorado, sem poder contar para suas amigas, sem carro e grávida aos 17 anos, ela precisa chegar até Albuquerque e voltar para casa em um fim de semana se não quiser que ninguém saiba que ela não é tão perfeita quanto demonstra, é então que ela se lembra de Bailey e pede ajuda a menina.

As duas partem numa roadtrip de mais de 3 mil quilômetros rumo a Abuquerque. Em meio a risos, dramas, apertos, brigas e muita confusão elas tem a chance de se acertarem e resgatar a antiga amizade que elas tinham.

O bebê é dele também? Queria recolher todas as rosas do chão e jogá-las na cara dele. Queria gritar que ele não me deu escolha quanto a ficar grávida. Então, com certeza, não iria lhe dar escolha quanto a fazer o aborto.

Desgrávida é narrado em primeira pessoa e os capítulos são divididos com a quilometragem que elas percorreram e são curtos, o que faz com que haja fluidez na leitura. A Faro fez um trabalho incrível nesta edição com o título em alto relevo, diagramação bonita, folhas amareladas e fonte em tamanho bom para a leitura.

As duas personagens principais tem um grande amadurecimento no decorrer da história, principalmente Verônica que perde um pouco do rei na barriga e da ideia de que precisa ser sempre a melhor em tudo. Bailey também amadurece bastante e vemos o porquê dela ter se afastado de Veronica e como ela foi negligenciada pelo pai, que inclusive é um babaca e tem uma cena com ela de cortar o coração. Quem me incomodou do início ao fim do livro e eu não consegui em nenhum momento simpatizar foram as amigas de Veronica que só pareceram ser invejosas e Kevin, o namorado dela, que se mostrou um completo babaca egoísta.

– O que quero dizer é que somos duas jovens poderosas no controle do nosso destino. Com cinquenta mil volts de eletricidade como reforço.

Desgrávida é um livro que traz a tona temas como gravidez na adolescência, sexualidade, aborto, religião e direito das mulheres sobre seu corpo com leveza e humor. Mas que também tem alguns problemas que precisam ser ditos. Alguns momentos e situações que Veronica e Bailey passam são completamente irreais e sem noção, e parecem ser muito mais um alivio cômico para seriedade do assunto do que uma forma de trabalhar o tema, como, por exemplo, numa determinada cena onde elas acabam na casa de uma casal estranho, com um furão, Kevin e uma imagem de Jesus Cristo no banheiro. Provavelmente, esse alívio cômico veio por conta de os autores serem os roteiristas da famosa série de comédia How I Met Your Mother, onde eles usam esse tipo de humor que na série cai bem, mas, para mim, no livro ficou fora de contexto.

Desgrávida é um livro engraçado, bom para tirar da ressaca e passar um tempo se distraindo com um livro. Eu recomendo ele para quem gosta de chick-lit e livros que façam rir!

Beijos e até a próxima!

Bell

Bell

Sou Bell Paula, tenho 28 anos e sou Bacharel em química e estudante de Tecnologia de Processos Químicos. A leitura está presente na minha vida desde criança, quando meus pais compravam para mim os gibis da Turma da Mônica, isso com meus 8 anos. Apaixonada por série que ninguém conhece, filmes clichês e músicas estranhas, tenho no manuscrito um lugar para falar das minhas leituras e compartilhar minha paixão. Amo livros de YA, romance e fantasia, mas adoro um bom clichê.

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

Arquivos