Resenha #327 Quase Rivais – J. Sterling @FaroEditorial

Resenha #327 Quase Rivais – J. Sterling @FaroEditorial

Título: Quase Rivais
Autor (a): J. Sterling
Lançamento: 2020
Estante: Skoob
Páginas: 160
Editora: Faro Editorial
Compra: Amazon     
Literatura: Estrangeira
Gênero: Romance
Estrelas: 4/5


Sinopse: Suas famílias são inimigas… Mas
será que é possível resistir a uma
louca paixão?
James é louco por sua vizinha Julia… Julia brilha e se arrepia
cada vez que esbarra com James… a combinação seria
perfeita se suas famílias não fossem rivais há gerações. E, como se não bastasse, os dois são
concorrentes no trabalho.
Mas, mesmo com tudo jogando contra, quanto mais tentam resistir, mais forte fica o
desejo. James e Julia entendem que precisam se manter afastados. O problema é: como?
J. Sterling, autora conhecida por seus romances incríveis, recria em Quase Rivais a maior
história de amor de todos os tempos. Neste Romeu e Julieta dos tempos modernos, há
alguns detalhes que se repetem, mas o que poderia ser diferente?

Resenha feita em parceria com a editora.

“Qualquer outra mulher seria apenas minha versão da Júlia, um pobre homem. Um troféu de segundo lugar. Uma mera réplica porque eu não podia ter a original.”

E vamos de Romeu e Julieta na versão contemporânea mais engraçada e deliciosa que já li.

Sim, aqui você conhece e segue junto com um casal que é completamente encantador e, apesar de tentarem se odiar, a atração entre eles é palpável desde o primeiro encontro na história.

James aparentar ser um cafajeste ridiculamente lindo, pois é…, rico, corpo saudável – como diria Izabeli -, charmoso e com muitos outros atributos, só que infelizmente é um Russo. Herdeiro da família arqui-inimiga da única mulher por quem ele é completamente apaixonado desde de os 4 anos de idade.

“Você percebe que isso chega bem perto de Romeu e Julieta, certo? Digo, vocês dois são até mesmo italianos.”

Júlia é a mente brilhante da família La Bella, sim. Ela é a filha única e extremamente inteligente, todos os anos ganha o concurso de vinhos de sua cidade e região com suas combinações entre uvas especiais de suas vinícolas e outros sabores, só que nem sempre ganhar significa felicidade completa… Júlia cresceu sendo avisada/ameaçada/programada para odiar o garoto da casa ao lado.

O ódio descabido entre as duas famílias que já perdura por gerações, acaba atingindo em cheio os dois jovens que realmente estão no meio do fogo cruzado sem realmente merecerem e entenderem o porquê.

Mas um pequeno e abençoado incêndio acaba por ser o motivo perfeito para começar a dissolução de todo o ódio. Assim como, finalmente, o motivo de toda as brigas são revelados….

“Estou apaixonado por você desde que era criança. Não há nada mais lento do que a nossa história.”

****
Eu não queria e muito menos devo dizer a vocês o quanto Quase Rivais é maravilhoso de ser lido. Quem conhece a história dos Montéquios e Capuletos chega nessa trama da Sterling achando que lerá mais do mesmo. Já aviso que é um tombo grande, pois James e Júlia são únicos, irreverentes e apaixonantes.

Logo de início você já se identifica com um e se apaixona pelo outro em momentos diferentes. São teimosos, impertinentes e, às vezes, cegos. Acho que é isso que os fazem ser tão incríveis, fora todo o galanteio de James que são motivos de desmaios. E mesmo Júlia sendo um pouquinho submissa para o meu gosto, as suas respostas elaboradas são engraçadíssimas e nos ganham o coração.

Bom, vocês perceberam que amei o livro, os personagens e história, não é? Só fiquei um pouquinho incomodada com alguma concordância na tradução, o que não interfere em nada na leitura. Agradeço a Dea pelo incentivo a ler esse livro ❤️ e a Faro por trazer um livro tão especial para o BR.

“Sabe que a Jeanine nos chama de Romeu e Julieta? – ela diz e eu sinto sua muralha amolecer.
Existe uma versão da história em que eles vivem felizes para sempre em vez de de morrer?”

Agora dona J. Sterling… o final, esse final, as últimas linhas não foram justas. Eu preciso de um spin-off que complemente aquilo, ok? Porém, ficou maravilhoso os quotes de Shakespeare como introdução de cada capítulo.

Minhas 4 estrelas são motivadas pelas concordâncias que me incomodaram e também pelo final que me deixou muito curiosa. Mas recomendo essa leitura para tirar a ressaca, para te divertir e principalmente por ser um romance muito adorável.

Beijos, see ya!

Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

Arquivos