Resenha #362 A Revolução dos Bichos – George Orwell @FaroEditorial

Resenha #362 A Revolução dos Bichos – George Orwell @FaroEditorial







Título: A Revolução dosBichos
Autor: George Orwell
Lançamento: 2021
Estante: Skoob
Páginas: 160
Editora: Faro Editorial – selo Avis Rara
Comprar: Amazon
Literatura: Internacional
Gênero: Literatura Inglesa, Ficção, Fábula, Sátira
Estrelas: 5/5

Sinopse: Publicado 75 anos atrás, A revolução dos bichos mantém em sua narrativa alegórica uma reflexão fundamental para os nossos tempos. No entanto, a correlação com os fatos que inspiraram o autor a escrevê-la quase sempre foi omitida. Aqui apresentamos a obra como ela, de fato, é: uma crítica contundente a Revolução Russa, ao socialismo real que foi posto em prática e a figuras como Marx, Lenin e Trotsky. Sátira política devastadora e fábula moral espirituosa, na tradição de Esopo, La Fontaine, Swift e Voltaire, narra a rebelião dos animais de uma granja contra o dono da propriedade, em busca de uma vida melhor. Porém, não muito tempo depois, os elevados ideais de liberdade, justiça e igualdade são traídos e um novo regime de opressão substitui a tirania anterior. “Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros” passa a ser o único mandamento em vigor e condensa em poucas palavras como o poder corrompe até mesmo as causas mais nobres. Em A revolução dos bichos, Orwell, espírito independente e radical nato, desencantado com os descaminhos da Revolução Russa de 1917, satiriza, por meio de uma fábula, o totalitarismo do regime stalinista, feito de mentiras, traições e terror.

*Resenha feita em parceria com a editora*

A Revolução dos Bichos é um dos seis romances escrito por Eric Arthur Blair, utilizando o pseudônimo George Orwell. A obra foi publicada em 1945 e continua ainda a fazer grande sucesso.

O livro conta a história dos animais pertencente ao Sr. Jones, proprietário da Fazenda do Solar. Em uma noite, após o senhor Jones se recolher, os animais se reúnem no grande celeiro para ouvir sobre um sonho estranho tido por Major, um porco ancião.

Nessa reunião, Major discursa sobre a tirania humana para com os animais e, que os mesmo só serão prósperos quando se verem livres dos maus tratos sofridos pelo Homem. Incitando assim, uma rebelião com o intuito de tomar a fazenda de Jones.

“o Homem é nosso único e verdadeiro inimigo. Retire o Homem da cena, e a raiz principal da fome e da sobrecarga de trabalho será cortada para sempre.”

Inspirados após a morte de Major, os animais começaram a se organizar para uma futura rebelião. O que eles não faziam ideia, era que ela estava bem próxima.

A revolução se deu depois de um fim de semana de bebedeira do senhor Jones, onde os animais foram deixados de lado e, nem alimentados foram. Liderados pelos porcos, todos partiram em ataque. Espantado assim o proprietário da fazenda e sua esposa.

Estando agora livres, os porcos (segundo os mesmos por terem mais capacidade intelectual) ficaram encarregados de gerir a fazenda. Agora intitulada ‘A Fazenda dos Animais’.

De início, tudo transcorreu muito bem, os animais trabalhavam para o seu próprio sustento e não mais para o sustento do Homem. Tinham comida em abundância e momentos recreativos. Suas crenças foram chamadas de ‘Animalismo’ e seus ideais foram escritos no fundo do grande celeiro. No entanto, com o tempo, alguns animais perceberam que os porcos possuíam alguns privilégios em relação ao outros animais.

“[…] um dia, entretanto, surgiu a ordem para que todas as frutas caídas fossem recolhidas e encaminhadas ao depósito de ferramentas, para o consumo dos porcos.”

Por mais que alguns murmurassem reclamações a respeito, um dos porcos discursava inventando alguma desculpa para as regalias dos suínos. Geralmente se dizia respeito às necessidades de nutrientes para que continuassem a realizar suas atividades intelectuais. Convencendo assim, a todos.

“Guerra é guerra: humano bom é humano morto.”

Bem, o que dizer a respeito? Esse livro é simplesmente incrível! É um grande estímulo para discussões sobre totalitarismo e assuntos do tipo. Orwell escreveu uma sátira que de início, parece uma fábula, literatura infantil. Mas com um grande poder reflexivo. Não é a toa que é considerada uma obra-prima da literatura mundial.

A edição da Avis Rara, selo de não ficção da Faro Editorial, está linda. Cheia de ilustrações maravilhosas. Não possuem erros ortográficos, por mais que em dois momentos a palavra ‘Fazenda’ tenha se repetido no texto. como por exemplo em “[…] instruções para se misturarem aos animais das fazendas e fazendas vizinhas”. Acredito que poderia ser ‘sítios e fazendas’. Mas fora isso, está tudo perfeito.

Enfim, minha avaliação foi de cinco estrelas. O livro é perfeito, incrível como conseguimos relacionar com o momento atual. Com toda certeza é uma obra atemporal. George Orwell escreve com uma simplicidade tão grande, que a leitura flui muito rápido. Alguém aqui já leu? Conta aí. Se você chegou até aqui, muito obrigado! Até breve!

Crigor Gaspar

Crigor Gaspar

Oi você! Meu nome é Crigor. Sim, por causa do cantor rs. Sou estudante de Biblioteconomia, moro numa cidade litorânea localizada no sul do Rio Grande do Sul e, desde sempre, sou apaixonado por livros. Tenho como sonho e meta de vida incentivar a leitura ao máximo. Então, seja bem-vindo!

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Agenda

abril 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Parceiros