Resenha #416 Antes que você saiba meu nome – Jacqueline Bublitz @FaroEditorial

Resenha #416 Antes que você saiba meu nome – Jacqueline Bublitz @FaroEditorial






 

Título: Antes que você saiba meu nome
Autor: Jacqueline Bublitz
Lançamento: 2021
Estante: Skoob
Páginas: 272
Editora: Faro Editorial
Comprar: Amazon
Literatura: Estrangeira
Gênero: Policial
Estrelas: 5/5

Quando Alice Lee chegou a Nova York aos 18 anos, com apenas 600 dólares e uma câmera furtada, ela estava procurando por um novo começo. Um mês depois, Alice se torna mais uma vítima de assassinato que não pôde ser identificada. Ruby Jones também está tentando recomeçar depois de um relacionamento conturbado. Ela atravessou o mundo em busca de paz, de uma nova oportunidade… até que encontra o corpo de Alice às margens do rio Hudson. A partir desse encontro, as duas mulheres formam um vínculo inquebrável. Alice tem certeza de que Ruby é a chave para resolver o mistério sobre como tudo aconteceu. Ruby, lutando para esquecer a tragédia que presenciou, se recusa a deixar Alice ir… pelo menos até que ela tenha a oportunidade de contar a própria história.

Amazon


**Resenha feita em parceria com a editora **

Um livro sobre finais e recomeços.

Em “Antes que você saiba meu nome” nós somos apresentados a duas personagens principais, Alice e Ruby. Duas mulheres que nunca se conheceram. Mas, que tiveram suas vidas entrelaçadas em Nova York.

Alice quer recomeçar a vida. Precisa recomeçar! Ela não tem outra escolha. Seu pai nunca soube da sua existência, sua mãe não suportou a dor da vida que levava e desistiu de tudo. Alguns se aproveitaram de sua fragilidade, enquanto outros simplesmente não se importavam. Tudo o que ela tinha era 600 dólares, uma câmera roubada e o sonho de uma vida mais digna. Com isso ela embarcou em um ônibus para Nova York.

Ruby mora na Austrália, não tem uma vida feliz. O seu namorado está noivo de outra pessoa e sua vida é uma confusão de sentimentos. Ela tenta se afastar da sua dor, do causador de sua dor, e embarca em um avião rumo a Nova York.

“Talvez as pessoas corajosas estejam apenas fazendo o que tem que fazer. Então, não é uma questão de coragem fazer as malas e deixar uma vida, apenas a falta de qualquer outra opção e a repentina percepção de que você, provavelmente, não tem mais nada a perder.”

Alice tinha 18 anos e muita vontade de viver. Seus olhos brilhavam de encanto ao olhar para cada prédio, cada outdoor, tudo parecia incrível e digno de ser registrado pela lente de sua câmera.

Sua vida parecia, enfim, tomar um rumo certo, ela tinha alguém que a tratava bem, mimos, e planos para um futuro decente. Mas alguém, que se achou no direito de interferir em seu destino, mudou tudo, arrancou-a de forma dolorosa do que poderia ter sido uma vida feliz.

Ruby passou um tempo tentando se encontrar e se conectar novamente. Tentando esquecer seu ex, que ainda era atual, de certo modo, e lembrar de si mesma. Só saía de seu lar, recém alugado, para duas coisas: comprar bebida ou correr. Correr era bom, um alívio, mesmo com o tempo ruim. E foi em uma dessas corridas em plena tempestade que ela encontrou Alice. Ou melhor, o corpo de Alice. Naquele momento a vida dessas duas mulheres foram conectadas, de uma forma que você só vai entender lendo o livro.

“Ninguém vive apenas uma vida. Começamos e terminamos nossos mundos muitas vezes. E não importa quanto tempo permanecemos ali, estou começando a perceber que todos queremos mais do que recebemos.”

O livro é contado, a maior parte do tempo, pela Alice. Sua vida foi tirada cedo de mais e ela não queria ser apenas mais uma garota anônima que morreu vítima de um abusador. Ela não era uma pessoa qualquer, tinha planos, sonhos, desejos, muita vida pela frente e queria muito, e tinha todo o direito, de ser feliz.

Ruby também tinha suas lutas e ansiava por uma mudança. Quando encontrou o corpo de Alice ela sentiu que precisava fazer algo. Ela fez o que pode por Alice, e Alice fez o que pode por Ruby.

O livro é um tanto triste, afinal estamos falando da vida de uma garota que morreu. E pode ter alguns gatilhos nessa história, você precisa saber.

Alice conta como era a sua vida antes de tudo acontecer, e acompanhamos a vida de Ruby pré e pós esse encontro das duas. Vários personagens aparecem e vamos ligando as coisas. Tem um mistério do assassino de Alice, que só descobrimos bem no final, e gera bastante expectativa para entender como foi que tudo acabou desse jeito fatal.

A leitura é bem fluida e por isso foi fácil ler e se envolver com tudo o que estava acontecendo.

O livro me trouxe várias reflexões e por fim está todo marcado de tantas citações interessantes, pretendo compartilhar todas elas com vocês no Instagram.

“Se eu tivesse sobrevivido…mas não sobrevivi. Fui assassinada perto de um rio enquanto vivia minha vida, amando o céu e a chuva, e Noah e esse sentimento recém descoberto de que, no final das contas, poderia ter tido uma vida feliz.”

Dani Ella

Dani Ella

Meu nome é Daniela, sou paulista, e tenho 28 anos. Leitora desde criança, e há alguns anos me apaixonei perdidamente pelos doramas. Amo um romance clichê, então as comédias românticas sempre tem espaço no meu coração, se puder ser acompanhada de um bom drama, suspense e um pouco de ação (com espadas, talvez?) fica mais que perfeito.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Agenda

janeiro 2022
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Parceiros