Resenha #83 Sway – Kat Spears @globo_alt

Título:  Sway
Autor (a): Kat Spears
Lançamento: 2016
Estante: Skoob
Páginas: 256
Editora:  Globo Alt
Literatura: Estrangeira
Comprar: Amazon
Gênero: Ficção, YA
Estrelas: 4/5 

Sinopse: Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para
conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos
escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais… É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho
controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget
desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.

****
 
Sway significa: influenciador, dominador ou controlador. Talvez Sway seja tudo isso em denotação. Mas Jesse Alderman era muito mais que isso.
Um solucionador, talvez…

Em Sway conhecemos Jesse, um adolescente marcado emocionalmente de uma forma profunda ese esconde atrás das coisas ilegais para disfarçar o que sente.

Jesse é o tipo CARA da escola e levando a vida de sua forma ele faz muitos
“favores” remunerados. Todo mundo quer que ele faça algo e todo mundo
lhe deve algo. Até o diretor de sua escola.

Um deles e o que basicamente o põe nos eixos, é conseguir para Ken Foster
um jeito de sair com Bridget Smalley, uma menina que além de linda é
extremamente brilhante. Ela faz caridade, visita a avó no lar de idosos tem um
coração de ouro e um irmão com necessidades especiais e nem por isso deixa de
sorrir… Ah e ela também já havia dado um ‘fora’ no Ken. Por isso ele
contratou o Sway.

Assim, Jesse passa a frequentar os mesmos lugares que Bridget, só que ele não esperava ser afetado e nem que ela despertasse nele todos os sentimentos que ele negava ter.

Tendo que arrumar desculpas aqui e ali, Jesse recorrer a um idoso rabugento no lar, o sr. Dunkelman, ou sr. D como ele o apelidou, para ser seu avô postiço. Ele
também se aproxima de Pete – irmão de Bridget – que passa então a ser o copiloto
em sua vida desgovernada.


No decorrer do tempo e mesmo negando, nosso “vilão” passa a praticar
benevolências e mesmo tentando não demonstrar, suas atitudes são todas mudadas para o bem e seus favores ficam de uma forma ou outra, ligados a Bridget.


Como cada ação tem uma reação, as mudanças na vida de Jesse não são simples e
aceitas por todos e ele, além de apanhar de um dos seus “ex-chefes” digamos
assim, também se ver contra a parede quando Pete descobre o porquê dele ter se
aproximado da sua irmã e a verdade vem à tona justamente quando ele estava
dizendo adeus a sua amada.


Jesse que mesmo querendo que ninguém gostasse dele, tem a ajuda de Joey – sua melhor amiga – e tem a chance de deixar Bridget que já havia lhe dito várias vezes,
finalmente gostar dele…


Eu não sei se meu resumo está coerente, mas passei praticamente o livro inteiro com sentimentos de amor e ódio pelo livro. Esse foi mais um daqueles que eu comprei pela capa, amei, e decidi que ele ia estar na meta desse ano.
Como estava incomodada pela leitura que tinha escolhido não vou contar qual
era, porque ainda lerei esse ano
, resolvi passar Sway na frente. 


A leitura é rápida, já que os capítulos são curtos, mas o misto de amor e ódio pelo Jesse fez com que eu arrastasse um pouco. Eu acho muito interessante a abordagem de temas como drogas, agressões e afins em livros young adults, porque geralmente se tem medo de ‘incentivar’ os adolescentes/jovens, ao invés de alertar.

Sway é basicamente um livro de “nova chance” e ele também traz o poder da amizade verdadeira e amor.

Sabe aquilo de ser amigo e apontar seus erros sem hipocrisia? É assim que o Jesse é, e foi nos dois últimos capítulos que ele me surpreendeu. 

Não vou dizer que o livro é previsível, eu torci bastante para que Jesse se desse mal, só que ele não é ruim, digo que ele é justo. E se eu estudasse com ele, com certeza ia querer ser da sua turma.

Nunca tinha lido nada da Kat Spears e se ela abordar mais temas sociais em seus outros livros, já quero lê-los. Quanto a Globo Alt eu não tenho dúvidas que a editora tem um carinho enorme pelos livros que publicam e se Sway não foi tão
hypado como outros livros da mesma linhagem, sinto informar vocês que lêem meu blog que estão perdendo um puta livro.

Dei 4 estrelas porque não há tantas punições e consequências como eu acho que
deveria ter, não ao Jesse, ele foi punido pela vida.

E se vocês lerem e acharem que elogiei de mais ou de menos, já disse que sou muito aberta a críticas.
Beeeijos
See ya!
Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

Arquivos