Resenha #85 A Megera Domada – William Shakespeare @EdMartinClaret

Título:  A Megera
Domada
Autor (a): William
Shakespeare
Lançamento: 2009
Estante: SkoobGoodReads
Páginas: 140
Editora: Martin Claret  
Literatura: Estrangeira
Gênero: Comédia, Romance
Estrelas: 4/5

Sinopse: Shakespeare é a glória da literatura inglesa.
Suas tragédias e comédias – que incluem várias obras-primas – são textos amados
e consagrados no mundo inteiro. Suas comédias terminam quase sempre em um
casamento conciliador, e o espírito de brincadeira prevalece em suas peças
românticas. Geralmente Shakespeare traça uma leve crítica aos costumes sociais
de sua época. A A Megera Domada (1593-1594) é uma bela comédia de costumes,
repleta de movimento e alegria. É a história da indomável Catarina e de
Petruchio, o fidalgo de Verona, seu pretendente. A peça foi adaptada de uma
antiga comédia de autor desconhecido. Alguns críticos afirmam que Shakespeare
teve um colaborador na elaboração deste seu trabalho teatral.

****
Essa resenha deveria
ter saído no domingo, mas eu fiquei sem internet 2 dias. Por isso o post de
hoje. Vocês puderam conferir ontem que essa é a nossa segunda Semana Temática e será sobre Shakespeare, não é? E eu escolhi ler A Megera Domada para falar
sobre.

Eu não sabia que o
livro era o roteiro da peça teatral, não me agrada muito o tipo de escrita. Mas
como eu já conhecia Catarina e Petrúquio de outras estórias, foi fácil a
leitura.
Para quem está se
perguntando ou na dúvida sobre o enredo. A novela O
Cravo e a Rosa
que foi transmitida pela Rede
Globo
é uma adaptação da obra
Shakespeariana
sim.

Em A Megera Domada vamos
conhecer o sr. Batista, rico, viúvo, pai de duas filhas solteiras. Catarina a
mais velha e Bianca a caçula.
As moças são
inteligentes, com personalidades e já estão na idade de casar.
O grande problema é
que Catarina é tinhosa, muito geniosa e com uma opinião forte. Ou seja, uma
megera, mandona que briga com todo mundo, além de sempre dizer que não se
casará nunca. Isso faz com que seus futuros pretendentes fiquem com receio de
escolhe-la como esposa.

Bianca é quem
realmente paga o pato pelas atitudes da irmã, a jovem que tem uma personalidade
dócil, prendada e sonhadora, e já tem seus muitos pretendentes.
Acontece que isso
gera um grande drama, já que o sr. Batista é muito rígido quanto as normas da
sociedade, de sua época e não permite que Bianca se case antes de Catarina.
E em meio a esse
embate que Petrúquio chega à cidade, ele sendo um homem bem-apessoado e com
ambições, ainda não é casado. Pois procura uma mulher que tenha posses, para
que ele aumente sua fortuna.

Ouvindo rumores
sobre a filha rebelde do sr. Batista, Petrúquio passar a ter interesses por
Catarina e tem certeza que a moça é a mulher ideal para sua vida. As pessoas da
cidade acham que Petrúquio tem algum problema já que A Megera – Catarina é impossível de ser Domada, mas ele está decidido.
Os dias se passam,
as coisas entre Bianca e seus professores particular, que nada mais são do que
pretendentes.
Ah, não posso deixar
de mencionar que um dos rapazes interessados em Bianca é Hortêncio, amigo de
Petrúquio, e ele também é um dos responsáveis pelo interesse de Petrúquio pela
irmã de sua amada.
O casamento de
Catarina e Petrúquio se realiza e até que sr. Batista tenha certeza que sua
irmã não fugirá do marido Bianca ainda continua sendo solteira e sob os
cuidados do pai.
Enquanto isso
Petrúquio segue tentando domar sua megera de esposa…

Bom, resumindo é
isso, eu particularmente acho que tem muito machismo na trama, mas levando em
consideração que naquela época (1565_1616) mais ou menos, as coisas eram bem
diferentes e nós mulheres éramos educadas para sermos esposas submissas.
Eu gostei muito da
experiência de ler um clássico, principalmente se tratando de William
Shakespeare. Eu dei muitas risadas durante a leitura e me lembrei de tantas
cenas de O Cravo e a Rosa, onde muitas vezes Catarina (Adriana
Esteves
) e Petrúquio (Eduardo Moscovis)
me tiravam boas gargalhadas.
Acho que preciso
reler Hamlet, Romeu e Julieta, e acrescentar outros livros de Shakespeare na
minha lista.
Dei 4 estrelas
porque a Edição que li não é das melhores, mas pretendo adquirir uma mais
decente futuramente e recomendo a leitura a quem ainda não a fez, assim como
indico que vocês continuem acompanhando nossa Semana Temática – Semana de
Shakespeare.
Beeeijos

See ya
Mazinha

Mazinha

Sou Mazinha, minha idade não importa, né? A alma é eterna KKKKK’ Moro em uma cidadezinha inexistente no mapa, sou viciada em Crepúsculo e todas as fanfics baseada nele, o que não quer dizer que a SM seja a minha autora da vida. Amo Romances e tenho me aventurado nos thrillers e segundo a Dani Fernandes eu adoro romance hot, só que nunca confirmei isso! Comecei a ler com 10 anos (vocês que lutem para fazer cálculos, eu sou de humanas).

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

Arquivos