Resenha #223 O Inferno de Gabriel – Sylvian Reynard @EditoraArqueiro

A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. “Um professor atormentado por seus pecados se vê tentado por uma aluna angelical.”
0 Shares
0
0
0
Resenha #223 O Inferno de Gabriel – Sylvian Reynard @EditoraArqueiro

Título: O Inferno de Gabriel, Gabriel’s Inferno I
Autor (a): Sylvian Reynard
Lançamento: 2013
Estante: Skoob
Páginas: 512
Editora: Editora Arqueiro
Compra: Amazon
Literatura: Estrangeira
Gênero: Erótico, Romance
Estrelas: 4/5

Sinopse: Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites.
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Já começa avisando que a minha resenha não será cheia de amorzinho.

A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher.
“Um professor atormentado por seus pecados se vê tentado por uma aluna angelical.”


Quem me acompanha no Skoob, no Instagram e algumas pessoas no WhatsApp já viram e sabem que eu não fiquei cheia de amor por essa história de imediato.

Sim, eu sou daquelas que precisa ser impactada logo no início da leitura para poder falar bem do livro já no começo. Porém, eu precisava concluir essa leitura e tirar minhas conclusões, mesmo não achando nada interessante no início e, UAU! Eu fui surpreendida!

O Inferno de Gabriel é o primeiro livro da trilogia Gabriel’s Inferno, escrito por Sylvian Reynard – que não sabemos ser um homem ou uma mulher -, e traz em si referências de A Divina Comédia.

Gabriel é um professor universitário que tem PhD em Dante, ele é um homem arrogante, muito exigente e um tanto quanto misterioso. O que faz com que ele seja um dos professores mais temido os seus alunos.

“- Se você for esperar que sua cicatriz desapareça, Julianne, vai ficar esperando para sempre. Cicatrizes nunca desaparecem. (…). Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre. Nem mesmo Jesus perdeu as suas.”

Julianne ou Júlia, acabou de ser aceita pra fazer mestrado também sobre Dante. O que faz com que ela tenha aulas com o professor Emerson, que para ela é muito mais do que apenas seu professor.

A ironia disso tudo é que Júlia sabe quem é Gabriel. Porém, ele não se lembra dela logo de imediato e acaba tratando-a rudemente e humilhando-a em diversas oportunidades.

Mesmo diante de todas as humilhações e as situações tensas, Gabriel e Júlia não conseguem negar a atração que existe entre eles, o que é fruto de uma ligação não só familiar, mas que eles já experimentaram há alguns anos atrás.

Entretanto, quando a irmã de Gabriel vem visitá-lo e exige que o irmão trate a melhor amiga da melhor forma possível e implora que a melhor amiga tenha paciência e cuide de Gabriel para que ele não volte ao buraco negro que envolve o seu passado é que as coisas começam a funcionar.

“Eu nunca lhe trataria como uma borboleta, como algo que eu tivesse capturado para minha própria diversão. Eu nunca prenderia você em uma caixa de papelão e cortaria suas asas.”

E enfim, quando Júlia revela a Gabriel sua mágoa por ele não se lembrar dela é que toda trama passa a ter sentido e Gabriel reconhece sua Beatriz, o seu anjo o qual o salvou e volta a ter esperanças.

A situação então revela um grande romance, os dois são arrebatados por um amor um tanto quanto sufocante, o que não deixa de ser bonito. Só que nem tudo são flores, o relacionamento entre professor e aluno é proibido pela universidade e ambos precisam lidar com a distância e encontros furtivos em alguns momentos.

Quando enfim eles voltam para cidade natal para um feriado familiar e Júlia se encontra com alguém que marcou seu passado e a fez se sentir então desmerecedora de amor e seus segredos são totalmente revelados é que Gabriel sente que também terá que revelar a sua caixa de pandora e, sim, perderá o amor da sua vida.

“Quando lhe disse que pretendia venerá-la com o meu corpo, estava falando sério. De todo meu coração. Nunca tomarei nada de você. Só lhe darei. Na minha cama ou fora dela.”

Como eu disse a vocês logo no início, O Inferno de Gabriel não foi um livro que me agradou imediatamente. Eu sabia que conhecia história de algum lugar e fiz diversos comentários sobre isso, não vi semelhança algum com os livros da trilogia 50 tons de cinza, porém, é uma história derivada ou original de uma fanfic Twilight. Não vem ao caso agora citar toda história da fanfic, mas The University of Edward Masen foi uma das primeiras fanfics lá dos primórdios de 2009.

E esse fato que me levou a lembrar que eu realmente levei um bom tempo para aceitar o tratamento de Gabriel e a submissão de Júlia. Achei que eles se submetiam a muito drama e autoflagelam com pecados muito obtusos.

Obviamente que isso não deixou de fora o reconhecimento de um amor intenso e algumas emoções da minha leitura. Foi exatamente depois que Gabriel passou a ter/fazer ações que demonstraram o quanto o seu amor por Júlia era profundo, intenso e significativo que os meus olhos e o meu coração se renderam ao romance.

“Então talvez agora não tivesse escolha, por já ter feito sua escolha antes. Quando ele lhe pediu sua mão e ela a estendeu sem questionar. No instante em que Gabriel a tocou, Julia soube que pertencia a ele. Desde então, ele sempre havia estado ali, nas sombras, como um fantasma que se recusava a ir embora. E agora o fantasma tinha decidido que a queria. Mas Julia acreditava que ele nunca, nunca iria amá-la”.

Em momento algum me senti lendo um romance adulto, não desses clichês cheios de cenas eróticas e um tanto quanto enjoativos. Cada forma de sedução, cada descrição de toque e a intensidade dos sentimentos é que deram um significado maior a história. A pessoa que escreve sobre o pseudônimo de Sylvian Reynard conseguiu tirar de um personagem toda carga abusiva e transformá-lo em uma amante surpreendente que não deixa margem para aceitarmos qualquer outro tipo de tratamento em leitura.

Se tratando da Arqueiro, a diagramação e revisão do livro está impecável. Com o tanto de referências e descrições das obras e dos lugares em que Gabriel e Júlia passaram, o livro nos deixa emergir no romance.

“-Quero beijar você – sussurrou ela. Ele sorriu. – Também quero. Ela esperou. Mesmo assim, ele não se mexeu. – Julianne – chamou ele. Ela abriu os olhos. – Venha pegar o que quer.”

Minha classificação foi de 4 estrelas e eu pretendo continuar a leitura da trilogia e ver se a nota permanecerá a mesma em todos os outros livros. Sei que esse não é um livro para se recomendar e recomendar e recomendar, visto que a maioria já deve ter ouvido falar alguma coisa dele. Mas garanto há quem ainda não leu por alguma indicação de semelhança com a trilogia mencionada anteriormente, que essa é uma leitura crescente e surpreendente à medida que vai desenrolando a história.

Não posso também de forma alguma deixar de agradecer ao Crigor por ser a pessoa que me inspirou e incentivou a fazer essa leitura, Junin eu amo você 💛💙. E estou à espera dele para começar o segundo livro.

Vejo vocês em breve.

0 Shares
1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *